E Bebianno caiu atirando

"O áudio é explosivo. Pela primeira vez na história do Brasil um presidente da República admite que a maior emissora do país e uma das maiores do mundo é sua inimiga", avalia o jornalista Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia; "Todo mundo sabe que a Globo não tem mais poder para eleger presidentes. Mas talvez ainda tenha para derrubá-los. Enganaram-se os que pensaram que Bebianno não cairia atirando"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia - O áudio é explosivo. Pela primeira vez na história do Brasil um presidente da República admite que a maior emissora do país e uma das maiores do mundo é sua inimiga.

 

Numa conversa ríspida com um de seus principais ministros. Na qual rompe relações com a família Marinho. Da qual sobram farpas também para a Globo: todo mundo sabe o que seus diretores fazem em Brasília. A crise subiu um patamar. O problema eram laranjas podres no partido do presidente. E uma possível contaminação com sua campanha. Agora é uma briga pública com a Globo.

Todo mundo sabe que a Globo não tem mais poder para eleger presidentes. Mas talvez ainda tenha para derrubá-los. Enganaram-se os que pensaram que Bebianno não cairia atirando.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247