É hora de jogar a toalha?

"Quem escolhe lutar, mesmo sabendo que a 'munição' é pouca, o risco é alto e a vitória incerta, não pergunte 'se vai dar', pois só quem joga a toalha tem certeza absoluta do que vai acontecer", diz o colunista Valter Pomar. "Em situações muito piores que a atual, gente muito boa escolheu lutar e venceu. Sendo assim, vamos guardar todo nosso fôlego e energia para ganhar votos. E sobre o resto, conversamos dia 29 de outubro"

É hora de jogar a toalha?
É hora de jogar a toalha? (Foto: Ricardo Stuckert)

Vários "democratas" seguem agindo como se fosse mais importante cobrar autocrítica do PT do que derrotar Bolsonaro.

Ciro Gomes vai para a Europa e seu irmão provoca um conveniente bate-boca com petistas.

O Ibope crava 59 a 41 e muita gente acha que não há mais tempo para virar.

E, cereja do bolo, o senador eleito Jaques Wagner acha que contribui repetir como ele acha que as coisas deveriam ser, se elas não fossem como são.

Diante disso tudo, três opiniões:

1) tá muito difícil sim, mas SE CORRIGIRMOS a linha e a postura, continua sendo possível vencer. Impossível, impossível mesmo, será "levar a vida" normalmente, com um fascista eleito;

2) quem está em pânico, quem acha que a derrota é certa, quem prefere ir embora, por favor vá já, pois mais ajuda quem não atrapalha;

3) quem escolhe lutar, mesmo sabendo que a "munição" é pouca, o risco é alto e a vitória incerta, não pergunte "se vai dar", pois só quem joga a toalha tem certeza absoluta do que vai acontecer.

Em situações muito piores que a atual, gente muito boa escolheu lutar e venceu.

Sendo assim, vamos guardar todo nosso fôlego e energia para ganhar votos.

E sobre o resto, conversamos dia 29 de outubro.

Haddad presidente, Manu vice, Lula livre!!

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247