É Lula ou Lula!

"Apesar de toda perseguição jurídica e midiática e contrariando todos os prognósticos do establishment, a candidatura de Lula não derreteu, pelo contrário", diz o deputado Chico Vigilante (PT-DF) ao comentar a pesquisa CUT/Vox Populi que aponta o ex-presidente Lula com 41% de intenções de voto, vencendo no primeiro turno; "Os golpistas que arquem com o ônus e com as consequências de inviabilizar Lula na mão grande, em um cenário que teríamos um simulacro de eleição"

É Lula ou Lula!
É Lula ou Lula!

Apesar do ensurdecedor silêncio da mídia tradicional, a pesquisa CUT/Vox Populi, divulgada nesta quinta-feira (26), consolida a liderança de Lula nas eleições presidenciais de outubro próximo. Nesta que é a primeira pesquisa depois da ação parcial e direcionada do juiz Sérgio Moro e sua trupe, no início do mês, quando atropelaram todo o ordenamento jurídico e legal para impedir a liberdade do ex-presidente, Lula se agigantou e, agora, aparece com perspectiva real de vitória já no primeiro turno.

Na pesquisa espontânea, Lula tem 37% das intenções de voto, seguido por Jair Bolsonaro com 10%, Ciro Gomes com 3% e Geraldo Alckmin e Marina Silva com 2%. Na estimulada, Lula cresce mais que qualquer adversário e lidera com 41% das intenções de voto. Nesse cenário, Jair Bolsonaro tem 12%, Ciro Gomes 5% e Geraldo Alckmin e Marina Silva seguem empatados com 4%. O candidato oficial do golpe, Henrique Meirelles, sequer chega a pontuar.

Apesar de toda perseguição jurídica e midiática e contrariando todos os prognósticos do establishment, a candidatura de Lula não derreteu, pelo contrário. Isso porque está cada vez mais claro para todo mundo que a injusta prisão do ex-presidente, encarcerado há mais de 100 dias em uma solitária de 15m², na sede da Polícia Federal em Curitiba, é uma continuidade do golpe, que afastou a presidenta Dilma do cargo sem que ela tenha cometido crime de responsabilidade.

Como todos os candidatos associados de alguma forma ao golpe estão inviabilizados eleitoralmente, a aposta da elite é a impugnação da candidatura soberana e popular de Lula. Sem ele, o condomínio golpista pretende eleger um governo sem qualquer respaldo popular para continuar implementando uma agenda neoliberal, derrotada quatro vezes seguidas nas últimas eleições presidenciais, que tem como pauta prioritária a entrega da soberania nacional, a retirada de direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras e a manutenção de privilégios da elite.

Para tentar confundir a opinião pública, o condomínio golpista encena a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como representante oficial do governo Temer, o mais impopular desde a redemocratização, para tentar descolar os tucanos do legado do golpe, que devolveu 1,5 milhão brasileiros para a miséria. Entretanto, mesmo contanto com toda boa vontade da mídia tradicional e tendo maior tempo no horário eleitoral gratuito, é evidente que o tucano Geraldo Alckmin terá dificuldades para descolar sua imagem do golpe.

O tripé político que sustentou o golpe e que jogou o Brasil em uma crise política, econômica e moral sem precedentes é formado pelo consórcio entre o ilegítimo Michel Temer, o presidiário Eduardo Cunha, líder do chamado Centrão, que compõe a chapa presidencial de Geraldo Alckmin, e pelo senador tucano Aécio Neves, com as bênçãos do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. Por isso, Alckmin é Temer e Temer é Alckmin.

Essa pesquisa também reafirma que o PT está correto em levar a candidatura de Lula às últimas consequências. Neste momento histórico, abrir mão de Lula seria legitimar o golpe e fragmentar ainda mais o campo progressista. Lula é inocente e lidera em todos os cenários, o PT tem um legado e um projeto de país para apresentar para a nação e nosso partido é o mais orgânico e o com o maior tempo no horário eleitoral gratuito. Por que, então, Lula e o PT devem desistir da candidatura do ex-presidente?

Os golpistas que arquem com o ônus e com as consequências de inviabilizar Lula na mão grande, em um cenário que teríamos um simulacro de eleição. Todos sabemos que de uma eleição sem Lula emergirá um governo sem qualquer legitimidade ou respaldo popular, fato que aprofundará a crise política, econômica e institucional em que o golpe mergulhou o Brasil.

Para o Brasil ser feliz de novo, a luta de todos aqueles que acreditam no estado democrático e de direito deve ser pela liberdade de Lula, pelo direito de Lula ser candidato e pela derrota política do golpe. Lula é a esperança de um país com crescimento e estabilidade econômica, com inclusão social e com democracia. É Lula ou Lula!

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247