E o Lula falou!

PF-DOI-CODI trata Lula como troféu, peita o STF que reage, mas confirma que o Brasil é pardieiro dos bárbaros, que devem ser severamente colocados em seus quadrados. 

E o Lula falou!
E o Lula falou!

PF-DOI-CODI trata Lula como troféu, peita o STF que reage, mas confirma que o Brasil é pardieiro dos bárbaros, que devem ser severamente colocados em seus quadrados. 

A Polícia Federal-DOI-Codi, que age como um partido arbitrário e de extrema direita, que participou por intermédio de muitos de seus integrantes do golpe de estado de 2016 travestido de legal e legítimo contra a mandatária trabalhista reeleita e constitucional, Dilma Rousseff, aprontou mais uma molecagem, evidentemente, até porque este é o País dos moleques, que rasgaram a Constituição, mandaram para o espaço o Estado Democrático de Direito, restituíram a censura, além de a meganhada estúpida e selvagem se sentir à vontade para reprimir, oprimir, insultar, bater, prender e matar. 

Afinal, estamos nos tempos das arminhas feitas com os dedos de verdadeiros sacripantas, que ainda irão ver este País definhar nas mãos de um fascista desprovido de projetos e programas, cujos interesses se resumem a entregar o País, retirar direitos sociais, trabalhistas e econômicos dos brasileiros e servir bestialmente e traiçoeiramente aos interesses dos Estados Unidos e da banca internacional. 

Para isso, o establishment nacional e internacional necessitam da cooperação de meganhas de polícias e de “doutores” de enclaves político-ideológicos como a Lava Jato e seus penduricalhos espalhados como praga em todo o País, afinal vivemos tempos difíceis, em que procuradores, policiais e juízes se autoproclamaram como os donos da verdade e aptos a terem o direito de cometerem covardias, infâmias e arbitrariedades em nome do combate à corrupção e tudo aquilo que não condiz ou coaduna com o pensamento único dessa gente estúpida e analfabeta política, mas plena de poder discricionário, a usarem o Estado como trampolim para seus interesses monetários, patrimoniais e políticos. Trata-se do republicanismo às avessas.

São verdadeiras castas aboletadas no Estado, a ganhar altos salários, a terem direitos adquiridos que serão somados às suas gordas aposentadorias. Servidores que decidem, como os da PF-DOI-CODI, fazer uma entrevista com plateia, só a faltar convidar os palhaços para complementar o circo promovido por delegados e procuradores, além de juízes da Lava Jato da província de Curitiba, cujo Estado, o Paraná, figura entre as duas unidades da Federação mais conservadoras, reacionárias e com viés fascista, que deixariam o próprio Mussolini com vergonha.

A verdade é que o inimigo de Lula, o ex-juiz Sérgio Moro — o Homem Menor —, deve ter dado uma ordem ao delegado da PF Luciano Flores de Lima, um fascista de plantão, que ousou e se atreveu a fazer convites para sites e publicações de extrema direita para participarem como “ouvintes” da entrevista de Lula à Folha de S. Paulo e ao El País, o que se torna uma mesquinharia e uma arbitrariedade inomináveis, pois o líder de esquerda e trabalhista fala para o veículo que quiser, além de ter de concordar se sites tresloucados, a exemplo do O Antagonista, poderá ou não participar de sua entrevista. O curioso sobre esta cagada toda promovida pela PF do Paraná é que essa gente não convidou para a entrevistas jornais como o Le Monde, o New York Times, o Le Figaro e o The Gardian, por exemplo. E por quê? Porque, camarada, alguns membros da PF podem realizar atos persecutórios e desrespeitosos, mas idiotas eles não são... Os meganhas da Lava Jato/DOI/CODI não querem dar voz a Lula. 

Lula foi violado em todos seus direitos constitucionais e está preso por motivos políticos e eleitorais, no sentido que sua prisão foi o que fundamentou a ascensão de um sujeito protofascista, incompetente e ignorante, que está a demolir o Estado brasileiro e disposto a favorecer a economia norte-americana em detrimento da brasileira. Contudo, para esse estado de coisas vicejar é necessário o amparo e a cumplicidade de meganhas e togados dispostos a impor uma velha ordem, que tem origem na escravidão, na República Velha e na ditadura militar, o regime mais cruel que aconteceu na história do Brasil, com duração de 21 anos, além de implementar o início do liberalismo econômico, que redundou, posteriormente, em inúmeros fracassos retumbantes que demoliram as economias em âmbito mundial, inclusive as dos países desenvolvidos. Ou todo mundo já esquecer, por cinismo e hipocrisia? 

É neste diapasão que entram os servidores públicos de poder e mando de inúmeras instituições e corporações, que formam verdadeiras castas e que tem o propósito de amarrar as “vacas” (Brasil e seus trabalhadores) para que o empresariado, os governos estrangeiros e as corporações transnacionais possam ordenhá-las à vontade, sem a resistência do campo popular e de esquerda, a qual Lula é seu maior representante, que hoje se encontra em uma situação de opressão e, com efeito, a ter de enfrentar as covardias indescritíveis perpetradas por policiais da PF de Curitiba, que resolveram fazer chicanas de baixíssimo nível, que é o nível dessa gente desditosa e perigosa para a legalidade, de forma que o ex-presidente Lula tenha interditada a entrevista, o que não ocorreu, já que o ex-presidente terminou a entrevista, que está bombando em todas as redes sociais, a ser replicada inclusive internacionalmente. Lula despiu em sua entrevista o ovo da serpente, bem como a serpente e afirmou que sua prisão é política, que Moro — o Homem Menor — e Deltan Dallagnol cometeram um monte de arbitrariedades e ilegalidades à margem da lei, porque, digo eu, para que um golpe (bananeiro) de estado ser vitorioso é necessário todo tipo de falcatrua política e chicana jurídica, e foi o que aconteceu, com a deposição de Dilma Rousseff e o encarceramento de Lula. 

Entrevistas marcadas pelo metalúrgico que conquistou a Presidência e tem o respeito do mundo há oito meses com a Folha de S. Paulo e o El País, que agora estão a provar a infâmia da censura, já que a Folha apoiou o golpe contra Dilma Rousseff, além de ter combatido violentamente e irracionalmente o governo de Lula. Também houve a tentativa de censura por meganhas de Lava Jato, que tentaram impor um pantomima de perfil circense e, com efeito, bagunçar ou quiçá adiar a entrevista. Alguns meganhas se acham donos do Brasil e, por sua vez, atrevidos e ousados. Contudo, o circo foi desmontado rapidamente pelo STF e o jornal El País e a Folha puderam realizar a entrevista sem sobressaltos, sendo que os repórteres são pela ordem Florestan Fernandes e Mônica Bergamo. 

Enfim, Lula sofreu na carne e na alma as covardias e injustiças do ex-juiz e agora ministro do governo da Banânia fascista de Jair Bolsonaro (os medíocres e bárbaros se merecem, e como) e teve a entrevista autorizada pelo ministro do Supremo, Ricardo Lawandoviski, que desautorizou de pronto a palhaçada circense promovida por uma PF que há muito tempo perdeu seus limites e que considera seus propósitos políticos e ideológicos o suprassumo em contraposição a tudo aquilo que os meganhas tratam como valores que não pertencem às suas rodas pessoais e profissionais. Durma-se com um barulho desse. 

Lula é muito maior do que pensa o status quo do Estado brasileiro e o establishment empresarial, que servem aos interesses dos Estados Unidos e da burguesia nativa, a mais atrasada do mundo ocidental, sendo que efetivar golpes de estado em pleno século XXI, em um País que está entre os dez maiores PIB do mundo, torna-se vergonha e humilhação seu parâmetro, porque um golpe, conservador e de interesse empresarial e financeiro como este leva décadas para ser combatido e revertido, no que tange à economia, ao desenvolvimento humano, às liberdades e aos direitos que constam na Constituição. Lula deveria ser solto já, se não fosse a covardia dos juízes do STJ, que se recusaram a fazer história. Espera-se que o STF o faça, e volte a honrar o Brasil. Lula Livre! É isso aí.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247