É uma questão de sobrevivência

O neoliberalismo corresponde a uma etapa de colapso do imperialismo. O fascismo a forma política particular à fase imperialista. Não poderia ser de outra maneira

É uma questão de sobrevivência
É uma questão de sobrevivência (Foto: Alan Santos - PR)

Um dos economistas de Cambridge afirmou que: “O Brasil está experimentando uma das maiores desindustrializações da história da economia”. A burguesia não consegue esconder totalmente o que está fazendo com o Brasil.

O golpe de estado de 2016 colocou em prática o programa 500 anos de retrocesso em 5 anos. Em alguns meses foi desfeito todos os programas sociais. O que vem pela frente é a venda total e completa do Brasil para bancos estrangeiros, principalmente para os EUA. Bolsonaro bateu continência para a bandeira estadounidense quando foi para lá. Bate continência para qualquer secretário dos EUA que encontra. 

Bolsonaro simboliza de modo mais acabado possível a venalidade idiota da burguesia e pequena burguesia brasileira que pretendem ganhar alguns trocados com a maior a desinsdustrialização da história, com a privatização de todas as empresas, com a venda de todos os recursos, com a venda de todos aquíferos e finalmente de toda Amazônia. "A Amazônia não é do Brasil" disse o capacho Jair.

Em Roraima, o interventor e agora governador do PSL, partido laranja dos golpistas, quer vender todas as terras para sanar a dívida pública. Os bancos vão comprar as terras por preço de banana para que os fascistas tupiniquins (ditos nacionalistas!) paguem a suposta dívida que drena todos os anos 45% do orçamento do Estado. É simplesmente um saque o que está ocorrendo.

A recessão econômica, o desemprego, a miséria, a fome voltaram rapidamente a níveis alarmantes. A população sobrevive por um fio cada vez mais esticado. Existe uma tendência natural à explosão.

Por isso, os imperialistas colocaram os militares no poder. Os sindicatos estão sob controle da ditadura. Todas as polícias e guardas municipais estão sob controle do Departamento de Estado norte-americano. Moro é um funcionário de terceira categoria. O genocídio no campo e na favela só aumentam.

"Todo poder à polícia!", "pela liberdade de generalizar o genocídio".

A conjuntura avança rapidamente para um cenário de guerra aberta entre a ditadura fascista-militar e a população que está sendo descartada. O imperialismo quer o Brasil como mera colônia, uma fazenda. Milhões de pessoas estão sendo jogadas à morte pelo neoliberalismo fascista de Guedes.

O neoliberalismo corresponde a uma etapa de colapso do imperialismo. O fascismo a forma política particular à fase imperialista. Não poderia ser de outra maneira. O imperialismo decidiu novamente matar milhões de pessoas para poder manter os lucros em crescimento, e o neoliberalismo é a forma mais barata de matar. Enquanto uma ditadura fascista totalitária garante com a força. O fascismo é a tropa de choque do capital financeiro em crise.

Esse é o desenho que fica cada vez mais nítido. Mas existem muitas debilidades no lado inimigo. Existem ainda inúmeras contradições internas. Momento especial para que os trabalhadores iniciem uma ofensiva contra a reforma da previdência, contra as privatizações, pela liberdade de Lula e todos os presos políticos, pela dissolução da polícia, pela deposição de todos os golpistas, pela elegibilidade dos juízes e fim do STF, e todas as demais pautas que se multiplicam na proporção e profundidade do ataque em marcha.
Podemos e devemos derrotar os fascistas!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247