Edir Macedo descalço no Planalto

(Foto: Alex Solnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Perguntaram a Boris Casoy se aceitaria voltar a trabalhar na TV Record. "Enquanto for controlada pela Igreja Universal, não. A Igreja Universal tem um projeto de poder com o qual não quero colaborar". Na Folha de hoje.

O primeiro namoro do fundador da Iurd, Edir Macedo com o mundo político deu-se na campanha de Fernando Collor à presidência da República, em 1989.

Collor procurava cooptar o "bispo" já então um grande cabo eleitoral, que, no entanto, fugia aos acenos.

Em dado momento, eles sentaram para conversar. O diálogo ocorreu na Casa da Dinda, segundo testemunhas.

O candidato perguntou claramente a Edir o que ele queria em troca de seu valioso apoio.

"Quero fazer a missa da sua posse" propôs o líder da Universal.

Collor topou, mas às vésperas da vitória teve que contar a Macedo que não poderia cumprir a promessa.

Fora, evidentemente, alertado por seus correligionários: se a cumprisse compraria uma briga eterna com a Igreja Católica.

Mas estava disposto a manter relacionamento próximo a Macedo. O primeiro gesto foi convidá-lo pessoalmente para a cerimônia de posse.

Macedo não ficou magoado. Compareceu ao Palácio do Planalto em companhia de sua mulher e de mais dois casais amigos.

A certa altura, um de seus amigos reparou que o "bispo" havia tirado os sapatos e as meias, pisava de pés descalços o chão do palácio.

Sem entender o que estava acontecendo, perguntou:

"Por que está descalço, bispo"?

"É porque... quando você quer se apossar de uma coisa tem que pisar nela com os pés descalços".

"Quer dizer que o senhor pretende ser presidente da República"? retrucou o amigo.

Macedo fechou-se em copas.

De lá para cá seu progresso na política foi notável. Fundou um partido, o PRB que, com 21 deputados federais é a 10ª força política do país, à frente de partidos tradicionais como PV, PDT, PPS e PCdoB. Tem ainda 32 deputados estaduais. Elegeu 104 prefeitos nessas eleições (tinha 79), concorreu com relativo sucesso à prefeitura de São Paulo, com Celso Russomano (o deputado federal mais votado) e está elegendo o prefeito da segunda maior cidade e cartão postal do Brasil.

Marcelo Crivella, além de bispo da Universal é sobrinho de Edir Macedo.

Eis aí um trampolim para pular de pés descalços na piscina do palácio.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247