Elite genocida que ocupa o poder manobra para manter Lula preso e PSL implode

A foto feita a publicada pelo jornal Estadão (abaixo) diz tudo. O Bozo apontando com seu gesto de arminha para a cabeça do outrora todo poderoso ministro Moro, este de cabeça baixa sob o olhar cínico e complacente do ministro Guedes, da economia, que corre para vender o Brasil antes que o governo se exaure.

Hoje, Bolsonaro chamou os ministros Dias Tofolli e Gilmar Mendes para conversar. Horas antes do Supremo Tribunal Federal iniciar a discussão das Ações Diretas de Constitucionalidade sobre cumprimento de pena após condenação em segunda instância. Como todos sabem, em 2016 o STF, por 6 votos a 5 de seus ministros, editou, pressionado pela turma da Lava-Jato, uma “interpretação” de que sim, pode-se cumprir a pena sem que o trâmite da acusação tenha sido transitado em julgado, contrariamente ao que diz a Constituição Federal, o que permitiu que Moro e o TRF-4 prendessem Lula e alguns outros acusados pela Lava Jato e por extensão milhares de outras pessoas em todo o País.

Uma das linhas da conversa de Bolsonaro com Gilmar e Tofolli pode ser a de que ele entrega ao STF a cabeça de Moro e Dalagnol - não é segredo que parte da côrte está puta com os dois - e em troca os ministros dão um jeito de manter Lula preso.

Vamos ver em que resultará o julgamento que começa hoje no STF. Também tivemos a nova manifestação do General Villas-Boas que, mesmo moribundo, voltou, como no ano passado a fazer ameaças se Lula for beneficiado com a soltura. Porém, desta vez impacto foi menor e a Globo não leu o tuíte do milico no Jornal Nacional, talvez porque o País atravessa crise de estabilização política e econômica.

No meio disso tudo, o partido escolhido para alojar o clã Bolsonaro, o PSL entrou numa guerra interna sem precedentes. Com o PSL rachado, mitiga-se a reação nas redes sociais e o STF, que antes era rocha e apoio total contra Lula, também parece rachado, principalmente pelo impacto da ação criminosa dos integrantes da Lava Jato, conforme se vê nas reações de Gilmar Mendes. Ou seja, o cenário é bem diferente do que era seis meses atrás, antes da revelações do site The Intercept e seus parceiros na mídia. Ou seja, não dá pra cravar se vão ou não soltar Lula.

Fica evidente que a raiz da crise do PSL, com o perfil fisiológico da sua bancada, é a briga para garantir maior naco no governo, que tem os militares entreguistas ligados ao generais Heleno e Mourão na predominância dos cargos chaves. Por outro lado, esse partido terá uma fatia maior do Fundo Eleitoral. E quem é seu presidente tem um poder político imenso. Bivar já foi alijado do governo pelo Bolsonaro e vai resistir enquanto puder para impedir que a familicia abocanhe também os recursos desse fundo. É só olharmos para a guerra de foice que ali se instalou com gravações e tudo.

O que fica evidente é que esses representantes do neofascismo abrigados no PSL e no governo, estão pouco se lixando para os problemas do nosso povo e do nosso Pais como o desemprego, os problemas ambientais e o enorme fosso que se agiganta entre os mais ricos e mais pobres. Eles querem mesmo é cargos para instalar seus apaniguaria e para suas negociatas, além de abocanhar o fundo partidário e eleitoral para manutenção de sua base política.

Como sairemos dessa é o que todos estamos a nos perguntar, perplexos!

Ao vivo na TV 247 Youtube 247