Esquerda, uni-vos por nós

A direita sobre o comando de Casa grande vai usar todos os mecanismos à sua disposição, para não permitir mais a volta de um operário ao poder

lula
lula (Foto: José Rainha Júnior)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Um espectro ronda nosso Brasil, tomara que este espírito seja da evolução, que nos traga a luz que nos conduz e nos ilumina um novo caminho, que permita aos nossos dirigentes da esquerda evoluir e tomar a consciência que não será possível derrotar a direita nas eleições de 2018, sem a união das forças de esquerda e progressistas.

A política é a arte de somar. Os nossos dirigentes partidários aplicam a tese ao inverso da história, divide para depois se somar acham que no primeiro turno todos devem ter seus candidatos e depois se somam no segundo turno aí ganha as eleições, teoricamente está correto, mas a teoria só é elaborada dos resultados da pratica, e não o inverso, estão se esquecendo de um detalhe, que a direita vai vir para ganhar as eleições no primeiro turno, mas alguns dirigentes logo vão dizer; isso é impossível. Nas eleições Municipais de 2016, eu estava realizando algumas assembleias com os companheiros nas periferias de são Paulo, todos dirigentes do PT e das associações de bairros dizia que Fernando Haddad disputava o segundo turno com a Marta e na pior hipótese seria com Celso Russomano. Um dia, depois de um analise que ouvi de um coordenador de um acampamento urbano, resolvi dizer aos dirigentes que o João Doria ganharia as eleições e se a esquerda não tivesse cuidado, ganharia no Primeiro Turno, por azar das minhas analises, João Doria Ganhou as eleições no Primeiro turno. Encontrei com alguns dirigentes depois de um bom tempo, uns me perguntaram, como você previu aquela vitória? Simplesmente disse a eles, companheiros nunca subestima seu inimigo.

Hoje estamos no mesmo cenário, as lideranças de todos os partidos afirmam que as eleições de 2018 vão para o segundo turno e nós vamos derrotar a direita no segundo turno, porque a direita não tem nome, ela não tem candidato, que mediocridade, será que esquecemos das eleições de 1989? Na época ninguém podia avaliar que um "caçador de marajás" que ninguém o conhecia, que não tinha nem partido poderia ganhar as eleições, e ganhou.

A direita não tinha possibilidade de ganhar as eleições em 1989, porque nesta época as forças de esquerda e progressistas tinha os melhores nomes para ganhar a primeira eleição depois da abertura do regime militar, era a primeira eleição direta depois de 25 anos de ditadura militar, nós tínhamos grandes nomes dos partidos de esquerda e progressistas, nomes como o Lula, Brizola, Ulisses Guimaraes, Mario Covas, o "comunista " Roberto Freire e a direita levou as eleições para o segundo turno e o tal Collor de Mello e a Rede Globo ganharam as eleições contra tudo e contra todos e dois anos depois esta mesma elite deu o golpe e derrubou o seu filhote da Ditadura Collor de Mello.

Nos artigos que venho escrevendo, tenho afirmado que Lula não seria preso, pois, a Burguesia não iria correr o risco de uma revolta popular no Brasil, o quer iria criar, era uma instabilidade sem dimensão e sem previsão de como iria terminar. O resultado está aí, Lula não será preso, mas corre o risco de não ser candidato no pleito de 2018. Agora, os dirigentes do Partido têm que deixar as vaidades de lado e somar forças com os partidos que tem pré-candidatos a altura para derrotar a Direita, se isso não for feito, vamos amargar uma derrota que somente a história poderá previr o que será no futuro de nossa esquerda no Brasil.

A direita sobre o comando de Casa grande vai usar todos os mecanismos à sua disposição, para não permitir mais a volta de um operário ao poder. Seu projeto neoliberal tem o comando dos Banqueiros e todo interesse dos Americanos. Nossos dirigentes parecem que finge não está enxergando isso e ao invés de somar todas as forças políticas sociais, sindical, todo setores progressistas e aqueles que querem a sobrevivência da democracia a se unir em um projeto que se não for socialista, que seja pelos menos nacionalista, já passou da hora de deixarem os egos falarem mais auto parecem não estar preocupados em cuidar dos interesses de nosso Brasil. Não podemos permitir e deixar o espaço para a direita colocar na ordem do dia, seus candidatos Fascistas, reacionários que sobre os holofotes da Globo podem ganhar as eleições de 2018.

O desafio está colocado; antes cedo que tarde demais ou unimos todas as forças de esquerda progressistas e com um projeto de alternativa, com um só candidato escolhido de consenso de todas estas forças políticas envolvidas no projeto eleitoral de 2018 ou estaremos correndo o risco do povo votar em um fascista reacionário como um Bolsonaro da vida. Precisamos cuidar do que aconteceu no passado, o início do Nazismo na Alemanha e o Fascismo na Itália, se deu por um vazio deixado pela esquerda, por não ter um projeto e uma proposta que pudesse convencer o povo que a Europa poderia sair da sua crise de forma democrática sem a perca de milhões de vidas como aconteceu com o holocausto no regime Nazista. Para que não choremos o leite derramado e nem lamentamos aquilo que deveríamos ter feito, rogamos a todos os nossos candidatos a presidente da república que não deixe os nosso excluídos, pobres, negros, Índios sem uma alternativa de voto e de vitória em 2018.

O poeta assim escreveu "senhor Deus dos desgraçados dizei-me o senhor Deus se eu deliro...ou se é verdade tanto horror perante o céu? Que o povo como tempestade tome as praças e as Cidades e faça a sua revolução". O Deus dos negros dos pobres Índios excluídos e miseráveis que vivem na extrema pobreza em sua pátria tão rica, faz com que a nossa esquerda não se esqueça de nosso povo de cada dia.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247