Está nascendo um novo Brasil - e é bonito de se ver

O jornalista Mauro Lopes escreve sobre o Brasil que está nascendo das ruas e que teve expressão estupenda nas manifestações de 15M e 30M; é um Brasil mais jovem, mais preto, mais feminino, mais diverso, poético, realista, calejado pelas derrotas, mais evangélico e ateu, de uma espiritualidade plural e de paz 

Está nascendo um novo Brasil - e é bonito de se ver
Está nascendo um novo Brasil - e é bonito de se ver (Foto: UNE)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Mauro Lopes, editor do 247, para o Jornalistas pela Democracia - É hora de profeciar e celebrar o novo Brasil que está nascendo e do qual fizemos experiência em 15 e 30 de maio e que aponta para o que deve ser uma greve geral histórica em 14 de junho. Ele aparece a toda a sociedade nas grandes manifestações, mas já se faz presente no cotidiano das relações sociais, das articulações e diálogos na base da sociedade, nos novos processos e caminhos que estão sendo abertos.

Este foi o tema do Paz e Bem desta sexta-feira (assista aqui).

Qual é o Brasil que está nascendo? Qual Brasil começa a morrer?

 

Está nascendo um novo Brasil

Nas ruas

 

E ele é mais jovem

Mais preto

Mais feminino

Mais bonito

Diverso

Divertido

 

E mais calejado pelas derrotas

Mais educado

Mais determinado

Mais poético

Mais plural

Na ideologia

Nas religiosidades

E na geografia, das capitais à cidades pequenas

 

Mais utópico

No entanto, mais realista

Mais solidário

País de partilha

 

Tem um nome, um norte

Lula

 

Mais evangélico

Mais ateu

Mais espiritualizado

De uma espiritualidade plural e de paz

É o Brasil do amor

 

Está morrendo um velho Brasil

E ele é branco

Veste a camisa da CBF

É envelhecido

É ganancioso

É raivoso

E racista

Adora o deus dinheiro

E a morte

E a tortura

É fundamentalista

É o Brasil do ódio

 

Nosso coração está

No novo Brasil

Que está nascendo

 

Duas músicas podem ser boas trilhas musicais do novo Brasil, e elas espalham-se do Nordeste em todas as direções:

 Anunciação, de Alceu Valença:

Tu vens, tu vens

Eu já escuto os teus sinais

Um Canto de Afoxé Para O Bloco do Ilê, de Caetano Veloso

Ilê aiê, como você é bonito de se ver

Ilê aiê, que beleza mais bonita de se ter

Ilê aiê, sua beleza se transforma em você

Ilê aiê, que maneira mais feliz de viver

 

A foto que encima este artigo é de uma jovem negra discursando na manifestação em Brasília nesta quinta (30M). Na mão esquerda, um livro: “Poesia nas quebradas”. Não poderia haver imagem mais simbólica do Brasil que está nascendo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247