Estado de sítio na cabeça de Bolsonaro

"Bolsonaro está acuado, e todo mundo se pergunta até onde ele pode ir, além do tom agressivo de suas falas. É improvável que ele tenha apoio para tomar atitudes mais drásticas", escreve a jornalista Helena Chagas. "Mas, de um lado e de outro da Praça dos Três Poderes, é bom que as instituições fiquem de olho"

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Helena Chagas, para o Jornalistas pela Democracia 

Jair Bolsonaro, para fugir da responsabilidade pelo caos,  reclamou hoje mais uma vez que o STF deu poderes demais aos estados e municípios. Nada de novo em ver o presidente, acuado, tirar o corpo fora dos estragos da pandemia. Todo mundo sabe que é um insensível, incapaz de ver a dor do outro, quase ao nível de uma psicopatia. Mas é preocupante ver, na boa de Bolsonaro, a expressão estado de sítio.

Ele se referiu a isso em relação ao que chamou de “superpoder” dado pelo Supremo às prefeituras, “poder que só no estado de sítio existe, e assim mesmo, não é decisão do presidente”. E emendou: “O presidente baixa um decreto e o Congresso, tem parlamentares aqui, é que vai dizer se vale ou não estado de sítio. Impuseram estado de sítio no Brasil via prefeituras. Isso está errado”. 

Ao pronunciar ao menos três vezes o estado de sítio, Bolsonaro pode ter cometido um ato falho, mostrando num escape de linguagem o que vai lá no fundo de sua mente. Pode ser que sim, pode ser que não. Mas o presidente voltou ao modo destemperado nos últimos dias, à medida em que a crise da pandemia se agrava, contrariando suas previsões e expondo cada vez mais a incompetência de seu governo.

Também hoje, ele mandou: “Tem muito idiota aí me mandando comprar vacina. Só se for na casa da sua mãe”. Palavras do presidente da República do Brasil, que vão ficar registradas para a posteridade.     

Bolsonaro está acuado, e todo mundo se pergunta até onde ele pode ir, além do tom agressivo de suas falas. É improvável que ele tenha apoio para tomar atitudes mais drásticas, ainda mais se estiverem fora da cartilha do Estado Democrático de Direito, como a decretação de um intempestivo estado de sítio. Mas, de um lado e de outro da Praça dos Três Poderes, é bom que as instituições fiquem de olho.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email