Estudo científico nos EUA aponta que cloroquina está mais matando do que curando pacientes com Covid

Criar falsas expectativas na saúde da população, visando a efeitos políticos, é não apenas equivocado, mas criminoso. Bolsonaro ainda usa recursos públicos para brincar com a saúde do povo brasileiro

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Criar falsas expectativas na saúde da população, visando a efeitos políticos, é não apenas equivocado, mas criminoso. O primeiro estudo científico com pacientes de Covid-19 que tomaram cloroquina aponta mais mortes por complicações cardíacas do que supostos bons resultados. A pesquisa foi publicada hoje pela revista médica The Lance e divulgada pela agência americana Bloomberg.

Dizer o contrário e mentir para as pessoas só atrapalha a única forma, até hoje, comprovada de evitar o alastramento da epidemia, que é o isolamento social. Jair Bolsonaro provavelmente sabe disso, e deveria focar seu governo nessa nova realidade. Mas prefere fazer demagogia e prometer uma cura que infelizmente ainda não existe.

Insistir, como fazem alguns bolsonaristas, com o argumento de que “toma cloroquina quem quer”, é um pensamento igualmente demagógico, para não dizer irresponsável e pouco inteligente. Quem diz isso deveria ao menos, por coerência, defender a liberação total de todas as drogas (afinal, usa quem quer, pelo argumento bolsonarista).

Mas, mais importante: é dever do estado, e de qualquer governo que o dirige, zelar pela saúde da população. Isso significa não incentivar o uso de substâncias de eficácia ainda não comprovada cientificamente. E que, pior, podem causar mal. E, ainda pior, podem até matar.

É o caso da cloroquina.

Não bastasse tudo isso, Bolsonaro ainda usa recursos públicos para brincar com a saúde do povo brasileiro. Por isso mesmo protocolei requerimento convocando o ministro da Defesa, a fim de esclarecer as informações (vindas do próprio presidente) de que o Exército brasileiro estaria produzindo hidroxicloroquina em massa. A solicitação será votada na próxima semana pela comissão externa da Câmara criada para acompanhar as ações contra o Covid.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247