Folha ataca PT e Lula e expõe seu jornalismo irresponsável e de esgoto

Como se percebe, os Frias sempre foram os paladinos de reacionarismo, retrocesso e golpismo, como aconteceu desta vez nos idos de 1964

Folha de S.Paulo
Folha de S.Paulo (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Como todos sabem e compreendem, até os recém-nascidos, os mortos e os extraterrestres, a Folha de S. Paulo é a porta-voz da burguesia mais reacionária, atrasada, decadente e de índole e alma escravocrata deste país infernal, fadado ao fracasso e terra das maiores e piores desigualdades sociais no mundo ocidental, porque terra sem lei, de quem pode mais chora menos, e se a farinha é pouca meu pirão primeiro.

E a Folha, um jornaleco de terceiro mundo com verniz de "intelectualidade" e presunçosa "sofisticação", na verdade não passa de um pasquim de tradição golpista, cujos donos, a famiglia Frias, possuem um histórico de golpes de estado e de apoio canino às políticas públicas e econômicas neoliberais de exploração e pirataria do povo brasileiro, que solaparam o desenvolvimento do País e, com efeito, efetivam obstáculos para que os brasileiros não tenham acesso a uma vida digna e de melhor qualidade.

Trata-se da mais perfeita tradução da Folha de S. Paulo, que ataca o PT de forma virulenta e injusta, bem como agride o Lula, um homem profundamente democrata, como demonstraram, sem dúvida, seus dois governos desenvolvimentistas, voltados às minorias e aos trabalhadores, além de ter edificado um cinturão de proteção social e valorizado as empresas nacionais e o mercado interno, a fim de criar milhões de empregos, assim como retirou o Brasil do mapa da fome e o fortaleceu como um país importante e influente na comunidade mundial, a ter a soberania brasileira como sustentáculo de sua diplomacia nos principais fóruns internacionais. 

Aí vem a Folha com seu jornalismo mequetrefe, decadente e podre moralmente cagar regras sobre o PT e o Lula, a distorcer deliberadamente a verdade e a mentir por intermédio de um editorial cujas farsas e mentiras apenas expõem a podridão dos editorialistas pagos pelos Frias, coronéis midiáticos bilionários, que há décadas combatem o desenvolvimento do Brasil e tratam a nação brasileira como se fosse escrava de sua colônia.

Por sua vez, é bom destacar que os Frias, proprietários de um pasquim que imita, ridiculamente, o The New York Times, são useiros e vezeiros em sabotar governos e governantes nacionalistas, trabalhistas e de esquerda. Desde 1930, com destaque para 1932, por meio da "Revolução" Constitucionalista, que não foi revolução, mas apenas uma sublevação da burguesia cafeeira paulista, que queria manter a República em seu poder indefinidamente. República Velha...

A burguesia agrícola paulista tentou derrubar o estadista, nacionalista e revolucionário Getúlio Vargas, que deu fim ao regime semiescravocrata da Política do Café com Leite e, consequentemente, deu início à industrialização do País. Os paulistas até hoje comemoram a derrota para os revolucionários de 1930, bem como a capital paulista é a única metrópole que não tem uma única rua com o nome do grande presidente trabalhista Getúlio Vargas. Ressentimento, ódio e rancor. E olha que Getúlio investiu pesadamente na industrialização de São Paulo. Surreal!

Como se percebe, os Frias sempre foram os paladinos de reacionarismo, retrocesso e golpismo, como aconteceu desta vez nos idos de 1964, quando a Folha dos Frias, conforme relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV), em 2014, reconheceu que o Grupo Folha, proprietário do jornal Folha de S. Paulo, além de apoiar ideologicamente e financeiramente o golpe de 1964, também apoiou materialmente a repressão contra os opositores da ditadura civil-militar.

A Folha dos Frias, caros leitores, é cúmplice ativa da sanguinária Operação Bandeirantes ao fornecer, efetivamente, veículos para a Oban realizar suas atividades de submundo. A desditosa Oban era um centro de investigações do Exército, que combatia as organizações de esquerda e, rotineiramente, torturava e matava os adversários do regime ditatorial.

Agora, a Folha, que recentemente apoiou outro golpe de estado travestido de legal e legítimo contra Dilma Rosseff, em 2016, como também fomentou as micaretas de coxinhas celerados e histéricos a partir de 2013, resolveu afirmar, por meio de um editorial cafajeste e repleto de arbitrariedades, pois pleno de má-fé intelectual, que a eleição para presidente da Câmara é a oportunidade para o "PT deixar de ser sectário, a marca de sua conduta"

Seria cômico se não fosse trágico e mau-caráter as ilações sórdidas da Folha. Então para os Frias, o PT, o partido que incluiu pretos, pobres, índios, deficientes, quilombolas, atendeu a pauta feminina e permitiu o acesso de grupos sociais esquecidos pelo Estado e oprimidos historicamente ao Palácio do Planalto é o partido sectário, segundo a Folha, um pasquim de quinta categoria, mentiroso e manipulador, que defende o verdadeiro sectarismo ao apoiar os 20 anos sem investimentos na saúde e educação, o congelamento de obras e concursos públicos, a volta ao FMI, a entrega criminosa das estatais e do Pré-Sal, e a brutal concentração de renda e riqueza por intermédio das políticas econômicas criminosas do estúpido fundamentalista do mercado, Paulo Guedes. E sectário é o PT?! O editorialista dos Frias calado é um poeta de imensa mediocridade e má-fé.

A verdade é que a Folha e tudo o que ela representa deveria tomar vergonha na cara, se algum dia a teve. A Folha e seus cupinchas querem cercear o PT, impedir que o partido faça política, defenda posições na Câmara e no Senado, que negocie e recuse, se for necessário, certas alianças ou nomes que não conjuguem com a democracia ou interesses da nação, que absolutamente não são os mesmos interesses dos donos bilionários da Folha, um jornal golpista e defensor dos benefícios e privilégios dos ricos.

Não satisfeita com sua diarreia mental em forma de editorial, a lamentável tucana Folha de S. Paulo, uma das principais responsáveis pela ascensão do fascismo no Brasil pelas mãos do brucutu Jair Bolsonaro, também, como sempre, agrediu o ex-presidente Lula. Disse a seguinte porcaria, já que é uma porcaria tal pasquim: “A sigla {PT} orbita a figura de Lula, flertando perigosamente com um ocaso personalista de sua maior liderança, que parece ter perdido o norte político após deixar a cadeia”.

A Folha considera Lula estar no ocaso. Arrogante e prepotente, esse jornaleco bananeiro, que não serve nem para ser usado como papel higiênico, assevera que Lula perdeu o norte depois de ser preso (injustamente e covardemente). Miserável e diabólica, a Folha é a empresa familiar que emprestava carros para os torturadores, além de apoiadora de golpes e responsável direto pelo país não se desenvolver em prol dos interesses da burguesia. Golpista, ordinária e infame é a Folha, que um dia pagará por suas canalhices.

O PT é independente e seguirá assim. É o maior partido de esquerda da América Latina. Uma agremiação política democrática, distribuidora de renda e riqueza, nacionalista e que faz do Estado a base do desenvolvimento sustentável para toda a nação, além de mediador de conflitos. É tudo que a Folha e seus lacaios da escrita não querem. O PT e o Lula continuarão sua jornada, independente dos idiotas do ridículo pasquim. Folha ataca o PT e o Lula e expõe seu jornalismo irresponsável e de esgoto. É isso aí.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email