Guimarães: Temer agora é uma pinguela podre

Líder da minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), afirma em entrevista a Tereza Cruvinel que “Temer escapou, ao custo indecente de R$ 33,9 bilhões, mas agora o país entra numa fase de interrogação oceânica"; "A travessia para a eleição do ano que vem será feita sobre uma pinguela que, se já era fraca, agora é podre. Fraco, desacreditado, desmoralizado, Temer não terá capacidade de conduzir qualquer agenda. Virou refém do Congresso e tudo terá que ser negociado com uma base ressentida”, resume o parlamentar; em sua avaliação, a oposição, mesmo não tendo conseguido impedir a rejeição da denúncia, saiu fortalecida porque, pela primeira vez depois do golpe, conseguiu atuar com total unidade, conduzindo sem qualquer atrito a estratégia da obstrução, que durou o dia todo

Líder da minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), afirma em entrevista a Tereza Cruvinel que “Temer escapou, ao custo indecente de R$ 33,9 bilhões, mas agora o país entra numa fase de interrogação oceânica"; "A travessia para a eleição do ano que vem será feita sobre uma pinguela que, se já era fraca, agora é podre. Fraco, desacreditado, desmoralizado, Temer não terá capacidade de conduzir qualquer agenda. Virou refém do Congresso e tudo terá que ser negociado com uma base ressentida”, resume o parlamentar; em sua avaliação, a oposição, mesmo não tendo conseguido impedir a rejeição da denúncia, saiu fortalecida porque, pela primeira vez depois do golpe, conseguiu atuar com total unidade, conduzindo sem qualquer atrito a estratégia da obstrução, que durou o dia todo
Líder da minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), afirma em entrevista a Tereza Cruvinel que “Temer escapou, ao custo indecente de R$ 33,9 bilhões, mas agora o país entra numa fase de interrogação oceânica"; "A travessia para a eleição do ano que vem será feita sobre uma pinguela que, se já era fraca, agora é podre. Fraco, desacreditado, desmoralizado, Temer não terá capacidade de conduzir qualquer agenda. Virou refém do Congresso e tudo terá que ser negociado com uma base ressentida”, resume o parlamentar; em sua avaliação, a oposição, mesmo não tendo conseguido impedir a rejeição da denúncia, saiu fortalecida porque, pela primeira vez depois do golpe, conseguiu atuar com total unidade, conduzindo sem qualquer atrito a estratégia da obstrução, que durou o dia todo (Foto: Tereza Cruvinel)

“Temer escapou, ao custo indecente de R$ 33,9 bilhões, mas agora o país entra numa fase de interrogação oceânica. A travessia para a eleição do ano que vem será feita sobre uma pinguela que, se já era fraca, agora é podre. Fraco, desacreditado, desmoralizado, Temer não terá capacidade de conduzir qualquer agenda. Virou refém do Congresso e tudo terá que ser negociado com uma base ressentida”, diz o líder da minoria, deputado José Guimarães (PT-CE).

Ele avalia que a oposição, mesmo não tendo conseguido impedir a rejeição da denúncia na quarta-feira, saiu fortalecida porque, pela primeira vez depois do golpe, conseguiu atuar com total unidade, conduzindo sem qualquer atrito a estratégia da obstrução, que durou o dia todo. 

- Fizemos tudo certo, tudo valeu à pena. PT, PDT, PSB, Rede e PSOL atuaram como uma força coesa e vamos manter esta unidade na resistência parlamentar daqui para a frente. Vamos acertar juntos a agenda para o pós-denúncia, que será um tempo tenebroso, pois  vão tentar impor mais retrocessos ao país – diz Guimarães, apontando as três prioridades que a seu ver devem ser estabelecidas por seu partido, o PT.       

- Em primeiro lugar, devemos apresentar um projeto para o Brasil, um programa de desenvolvimento com soberania e inclusão. Temos que superar a fase da resistência com agitação e passar à proposição, respondendo à angústia silenciosa da população. Em segundo lugar, devemos nos empenhar pela unidade da esquerda em torno de uma agenda mínima, e se possível, em torno de um projeto eleitoral  comum para 2018.  E devemos, finalmente,  cerrar fileiras em torno da candidatura do Lula, que já está percorrendo o país e espalhando a esperança com suas caravanas.

Em relação à unidade das oposições de esquerda, Guimarães diz que vai propor à presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que convide os presidentes dos demais partidos para uma reunião que tenha como pauta a ação conjunta no enfrentamento da agenda de retrocessos que Temer agora tentará acelerar.

- Não há dúvida de que, enterrada a denúncia,  a fúria privatizante vai aumentar. Depois do leilão do pré-sal, virão com a modelagem da privatização da Eletrobrás. Mas no que depender do Congresso, a situação não será tão fácil para Temer.  A base dele se desgastou demais para salvá-lo, o Centrão está ressentido e vai partir para cima do PSDB.   Rodrigo Maia conseguiu se manter a alguma distância do Temer e agora deve ter um protagonismo pessoal maior. Tudo vai ter que ser muito negociado, nada vai passar goela abaixo aqui na Câmara. E se mantivermos a unidade desta semana,  conseguiremos reduzir os anos que ele tentará impor ao país no tempo que comprou para ficar no cargo e se proteger da Justiça – conclui Guimarães.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247