Impeachment: criatividade antes das passeatas e dos comícios

(Foto: Divulgação | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A esquerda precisa aproveitar a onda favorável ao impeachment de Bolsonaro da forma mais criativa possível, enquanto perdurar a segunda e avassaladora onda de coronavírus e o processo de vacinação não tiver imunizado pelo menos 70% da população, patamar que, segundo os infectologistas, é capaz de frear a disseminação do vírus.

É visível a olho nu que o afastamento de Bolsonaro, como medida profilática para zelar pela saúde da nossa gente, salvar vidas e preservar o sistema democrático, avança na sociedade brasileira, envolvendo segmentos até então refratários ao impeachment.

Entre declarações de políticos da direita liberal, manifestos de juristas e intelectuais, vídeos de artistas, conversão à causa do impeachment de jornalistas que apoiaram o golpe contra Dilma, aumento significativo de menções negativas ao capitão da reserva nas redes sociais e até engajamento de movimentos reacionários  como o Vem Pra Rua e MBL, vislumbra-se o cavalo passando encilhado. Cabe à oposição de esquerda, criar as condições para que povo possa montá-lo.  

Vejo também de forma auspiciosa a convocação de manifestações imunes à propagação do coronavírus, como a carreata programada para o próximo sábado em Belo Horizonte.

Conforme apontou com propriedade o jornalista Renato Rovai em artigo recente, o antibolsonarismo cresceu e hoje se constitui no movimento político mais importante do país. E nada, absolutamente nada, pode ter mais importância política atualmente do que dar asas à campanha para o Brasil se livrar do delinquente que ostenta a faixa presidencial. 

O foco deve ser a saída de Bolsonaro. Cada dia com sua agonia. Por isso, seria de enorme valia para o projeto de resgate da democracia que questionamentos com alguma racionalidade política, mas inoportunos, fossem deixados de lado.

Refiro-me a coisas do tipo “ah, mas de que adianta tirar o Bolsonaro e o  Mourão assumir?”, ou “o Centrão é numeroso no Congresso Nacional e vai derrotar o impeachment”, ou ainda “não há tempo hábil, pois no ano que vem já tem eleição presidencial.”

Independentemente de conjecturas e cálculos políticos táticos e estratégicos, abraçar esta campanha é um dever de todos que amam o Brasil e o regimento democrático.

Sobre o apelo à criatividade como recurso essencial na luta pelo impeachment antes que seja possível a realização de comícios e passeatas, por óbvio não é aconselhável entrar em detalhes a esse respeito em um texto público.

Estamos desafiados a botar a cabeça para funcionar.  

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email