Indiana Judas e os cidadãos de bem contra o mal

Quando legitimamos um golpe dessa natureza e aceitamos sem indignação que uma presidente eleita pelo povo seja destituída do cargo e substituída por uma dupla nefasta e amoral como Temer e Cunha, estamos dizendo a todos que somos simpatizantes do mal

Brasília- DF- Brasil- 10/03/2015- Vice-presidente Michel Temer se reúne com presidente da Câmara, Eduardo Cunha (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília- DF- Brasil- 10/03/2015- Vice-presidente Michel Temer se reúne com presidente da Câmara, Eduardo Cunha (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Nêggo Tom)

O processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff chega no seu momento decisivo. É a hora do vamos ver. É briga de cachorro grande. As cartas já foram postas sobre a mesa e os jogadores já não escondem dos adversários quais são as suas táticas no jogo. Dias atrás o vice-presidente da república Michel Temer, recebeu diversas lideranças em sua residência oficial, o palácio do jaburu. Foi tanta gente que o trânsito engarrafou nas imediações. Pela quantidade de bajuladores indo atrás dos cargos prometidos em troca de apoio ao golpe, é bem possível que tenha se gerado um overbooking. Resta saber se quem ficou de fora vai saber esperar a sua vez de entrar ou se vai agir da mesma forma que o líder do movimento agiu para tomar o poder. Se eu fosse ele ficaria bem atento, porque quem quer dar um golpe tem pressa e ele sabe muito bem disso.&nbsp ;

Foi noticiado que 15 deputados da bancada evangélica também estiveram no local e que ao término do encontro deram-se as mãos e juntamente com Michel Temer fizeram uma oração pelo país. Um verdadeiro escárnio com o nome de Deus e com a inteligência do povo brasileiro. Todos esses que apoiam a traição do vice-presidente são dignos de serem governados por ele. É o tipo de cidadão de bem que puxa o tapete do colega de trabalho para ser promovido pelo chefe de forma justa e meritocrata. É o tipo de cidadão de bem que frequenta a casa do amigo e dá em cima da mulher dele porque se julga mais capaz de satisfazê-la. É o tipo de cidadão de bem que fala mal do vizinho e do parente pelas costas, mas que em sua presença lhe beija e lhe abraça com toda sinceridade e amor. É o tipo de cidadão de bem que profere injúrias raciais contra um negro, mas que ao ser chamado de racista alega que o seu melhor amigo e o seu octaedroavô são negros e que tudo não passou de um mal entendido. São todos cidadãos de bem. De bem com o mal.

Não se trata de julgar como bom ou mal quem se posiciona favorável ao impeachment. Mas vale observar os conceitos de moral e bons costumes da turma que defende o afastamento da presidente Dilma. Se tivéssemos na linha sucessória presidencial, Madre Tereza de Calcutá e São Francisco de Assis, até eu apoiaria o afastamento da atual presidente. Não por ela ter cometido algum crime de improbidade administrativa, já que isso não foi provado. Mas pelo fato de que teríamos dois santos no poder. Mas infelizmente não temos essa possibilidade. Na nossa política não existem santos, mas existem uns bem mais pecadores do que outros. É o caso dos nomes que se apresentam como alternativas obrigatórias a sucessão presidencial. Michel Temer e Eduardo Cunha representam o que há de pior e mais sujo na política nacional e mesmo assim possuem muitos aliados e simpat izantes, uma prova de que o conceito de "cidadão de bem" precisa ser revisto em nossa sociedade.

O atual vice-presidente se apresenta como a salvação da lavoura burguesa. O Indiana Jones as avessas do planalto central. Assim como o personagem de George Lucas, ele tem uma vida dupla e aventureira. A diferença é que enquanto o personagem original carrega o seu revolver e o seu chicote para fazer justiça, enfrentando forças do mal que querem dominar e tomar posse das riquezas do mundo, o nosso Indiana Judas faz justamente o oposto. Carregando também um chicote e um marcador de gado, ele arma o golpe justamente para que as forças do mal consigam dominar e tomar posse de tudo, de forma totalitária e absolutista, numa tentativa alucinada de reimplantar o regime de servidão que tanto foi útil para a afirmação do capitalismo em nossa sociedade. Ele vai em busca da arca perdida pela direita que já não mais dá as cartas como sempre o fez no país. A missão & eacute; árdua, mas ele conta com um fiel escudeiro, o atual presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha, réu na lava-jato e envolvido em qualquer outro escândalo de corrupção que seja possível um corrupto do seu naipe se meter. 

Quando legitimamos um golpe dessa natureza e aceitamos sem indignação que uma presidente eleita pelo povo seja destituída do cargo e substituída por uma dupla nefasta e amoral como Temer e Cunha, estamos dizendo a todos que somos simpatizantes do mal, desde que tenhamos empatia com os malfeitores. Se bem que eu não consigo imaginar que tipo de pessoa pode ter empatia por Michel Temer e Eduardo Cunha. Talvez também tenham empatia por vampiros e outros seres das trevas ou o ódio a pessoa da presidente é tão grande que faz com que eles se aliem com qualquer um que queira derrubá-la. Eu chego a conclusão que se Guilherme de Pádua e Suzanne Richtoffen se declararem a favor do impeachment, tudo o que eles fizeram de monstruoso será perdoado. Talvez até sejam chamados de "meus Psicopatas favoritos", assim como o deputado Marco Feliciano se referiu a Eduardo Cunha como o seu &q uot;malvado favorito", porque mesmo sendo ele o político mais corrupto do país, autorizou a abertura do processo contra Dilma Rousseff. São alguns exemplos dos conceitos de moral e bons costumes dessa nova categoria de cidadãos de bem. 

O exército de Indiana Judas pode ser numeroso, mas não pode voar. Eles não possuem as asas da liberdade que só a consciência leve e tranquila faz brotar na alma. Eles não têm o verdadeiro compromisso com a democracia e com o bem estar comum. Eles só querem o poder pelo poder. Os seus interesses são escusos e pessoais. Eles se juntam num ecumenismo político que abriga em sua doutrina, desde de falsos democratas a charlatões religiosos ávidos por mais uma fatia de poder. Eles cunham uma "silada malafaiana" para que o povo acredite que estará "felicianamente" em boas mãos e "bolsonarianamente" protegido. Mas a verdade é que tudo será temeroso demais. Não há como confiar num herói que traiu a confiança do seu líder. Se ele traiu a presidente, o que não fará com o povo brasileiro caso assuma o p oder? Estamos sob a ameaça de entregarmos o país nas mãos de um Judas Iscariotes político. Um homem que sem nenhum pudor está recebendo políticos em sua residência oficial como se já estivesse no poder. Os urubus adentram o palácio do jaburu com a perspectiva de sair de lá com algum cargo ou função no novo governo, mesmo sabendo que existe outro governo, o legítimo, que está no comando e que não se curvará a esse golpe.

Antes de se intitular como um cidadão de bem, é preciso fazer uma análise minuciosa de nossa consciência e das nossas atitudes. É preciso passar um antivírus no nosso sistema para saber se ele não foi corrompido por alguma ameaça externa. Os malwares humanos estão a solta por aí e não é difícil que eles se instalem em nosso hd se não estivermos atentos ao funcionamento da nossa central de processamento. As vezes não nos damos conta do risco que estamos correndo e nos deixamos levar por uma multidão já contaminada, que caminha em direção ao matadouro imaginando estar indo ao encontro do paraíso. Nenhum cidadão de bem entrega o seu país nas mãos de facínoras como os que se apresentam nesse momento. Nenhum cidadão de bem usa como recurso o mesmo mal que ele condena para fazer justiça. Não se fa z justiça com maldade. Oremos para que o bom senso prevaleça na câmara e esse processo de impedimento da atual presidente seja rechaçado, não permitindo assim uma ruptura do processo democrático e colocando de uma vez por todas a nossa fascista direita política no seu devido lugar. Na sibéria do esquecimento. 

Não vai ter golpe! Viva a resistência! Viva a democracia! Viva o povo brasileiro! 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247