Interlocutor de Ribeiro no grampo só pode ser Bolsonaro

"Só a Bolsonaro interessava mantê-lo sob controle e fora do alcance da Justiça", escreve o jornalista Alex Solnik

www.brasil247.com - Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação de Bolsonaro
Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação de Bolsonaro (Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil | Alan Santos/PR | Reuters)


O juiz Renato Borelli divulgou agora há pouco declarações do ex-ministro Milton Ribeiro obtidas por meio de grampo autorizado pela Justiça no qual conversa com um interlocutor cuja identidade o juiz conhece, mas não revela. 

Segundo o juiz, o interlocutor mantinha o ex-ministro informado sobre o andamento das investigações, interferindo, portanto, de forma indevida no trabalho da Polícia Federal.

“Tudo caminhando, tudo caminhando” diz o ex-ministro no grampo. “O negócio da arma resolveu. Agora vai faltar o assunto dos pastores, né? Uma coisa que eu tenho receio um pouco é aquele negócio de busca e apreensão”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O juiz mandou prendê-lo por ver risco de destruição de provas. O grampo mostra que o risco era real.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas quem é o interlocutor misterioso de Milton Ribeiro? 

Até agora, o que se sabe oficialmente é que é alguém com foro privilegiado, razão pela qual o juiz enviou o caso para o STF. Caberá à ministra Cármen Lúcia decidir se o processo será desmembrado ou não.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nos bastidores, ninguém tem dúvida. 

O ex-ministro não tinha relação estreita com nenhum político com foro privilegiado, a não ser Bolsonaro. Além disso, só a Bolsonaro interessava mantê-lo sob controle e fora do alcance da Justiça. 

Prova disso é que o advogado de Ribeiro, Daniel Bialski, que também defende a primeira-dama, conseguiu relaxar a prisão antes mesmo da audiência de custódia, na qual o ex-ministro teria que dizer alguma coisa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na tentativa de garantir o silêncio do ex-ministro, Bolsonaro se complica mais. E o corajoso juiz o coloca na cena do crime.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email