Já vai tarde

A cata de vantagens locacionais (poucos impostos, baixos salários, pouca legislação ambiental, ausência de direitos trabalhistas e sindicatos fortes) essas empresas disputam, como abutres, os favores governamentais em todo mundo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Um dos aspectos mais destacados  da globalização dos mercados é  o que se chama da "verticalização da cadeia produtiva" das empresas multinacionais.  Vem ocorrendo um agressivo movimento de desterritorialização da produção industrial. O mundo subdesenvolvido vai se transformando em plataformas de lançamento  dessas empresas, sendo ocupado por zonas  de processamento e montagem dessas empresas. 

A cata de vantagens locacionais (poucos impostos,  baixos salários,  pouca legislação ambiental, ausência de direitos  trabalhistas e sindicatos fortes) essas empresas disputam, como abutres, os favores governamentais  em todo  mundo. Quando encontra quem lhes de mais vantagens, elas simplesmente abandonam o país e se mudam para outro canto, sem dizer adeus ou muito obrigado. Isso aconteceu com a Ford, a mais antiga montadora de veículos automotores.

Ela  abandonou o Rio Grande do Sul porque Antônio Carlos Magalhães  ofereceu empréstimo  do Banco da Bahia, sob a alegação da criação de empregos e renda. Na época, o Tribunal de Contas disse  que o custo desses empregos era tão grande, que era  melhor entregar o dinheiro diretamente  aos trabalhadores. Agora anunciou que está deixando o país, devendo ao BNDES e depois de ter arrancado tudo dos brasileiros. 

Que se aprenda com o exemplo: esse modelo  de desenvolvimento econômico  é  insustentável, predatório, desagregador da federação brasileira e só  beneficia as matrizes  estrangeiras  dessas montadoras. Elas não têm  nenhum compromisso com o povo e a nação  hospedeira. Já vai tarde.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email