Lei de Acesso à Informação recebe cortina de fumaça

O governo altera as regras da lei, possibilitando assim ampliar o leque de documentos sigilosos, dando poderes a servidores públicos de classificar documentos com o carimbo de sigilo. Tal prática carrega consigo o desejo de censura, demonstração de força e ocultação de fatos que podem causar transtornos sérios de ordem econômica e social ao país

Lei de Acesso à Informação recebe cortina de fumaça
Lei de Acesso à Informação recebe cortina de fumaça (Foto: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247


Os espalhafatosos e iludidos por um governo que tanto falou em honestidade serão saciados.

De uma forma nada convencional e empobrecida de dignidade, em tempos de democracia, o governo de uma forma bem direta tenta esconder a sujeira. Todavia, o mal cheiro sempre exala.

Conhecida por garantir a transparência e publicidade dos atos públicos, fortalecendo a democracia e a participação ativa da população na prestação de contas, exercendo, assim, seu direito de participação na política, a lei de acesso à informação recebe uma verdadeira facada.

Criada no governo PT, no então governo da Presidenta Dilma Rousself, a Lei é mais uma ferramenta em favor da Constituição Federal, pois regulamenta o acesso à informação, gerando com isso visibilidade e publicidade.

"A Lei nº 12.527 de 2011, regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas. Essa norma entrou em vigor em 16 de maio de 2012 e criou mecanismos que possibilitam, a qualquer pessoa, física ou jurídica, sem necessidade de apresentar motivo, o recebimento de informações públicas dos órgãos e entidades".

A Lei vale para os três Poderes da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, inclusive aos Tribunais de Conta e Ministério Público. Entidades privadas sem fins lucrativos também são obrigadas a dar publicidade a informações referentes ao recebimento e à destinação dos recursos públicos por elas recebidos.

O governo altera as regras da lei, possibilitando assim ampliar o leque de documentos sigilosos, dando poderes a servidores públicos de classificar documentos com o carimbo de sigilo.

Tal prática carrega consigo o desejo de censura, demonstração de força e ocultação de fatos que podem causar transtornos sérios de ordem econômica e social ao país.

O futuro sombrio que começa a se fazer presente se apresenta com repertório que propõe ocultação de atos, cerceamento da cultura, educação e ignorância. Muita ignorância!

A democracia recebe mais um açoite nesse pelourinho e a transparência uma cortina de fumaça.

É assim, agora, que se resolve a corrupção:

Escondendo!

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247