Liberação de fuzil atende demanda única e exclusiva das milícias

"O preço médio de um fuzil, de cerca de 30 mil reais, coloca a liberação como demanda única e exclusiva das milícias", analisa o jornalista Lenardo Fortes, do Jornalistas pela Democracia, sobre o decreto de armas de Jair Bolsonaro; "A tropa de assassinos e achacadores do Rio, que tem na família Bolsonaro admiradores, vizinhos e empregadores, é a única instituição do País que tem interesse nessas armas. E que, em meio a uma quase recessão, tem essa grana toda disponível"

Liberação de fuzil atende demanda única e exclusiva das milícias
Liberação de fuzil atende demanda única e exclusiva das milícias (Foto: Reprodução)

Por Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia 

A liberação para compra de fuzis e as manifestações fascistas, previstas para 26 de maio, têm uma ligação visceral, no que parece ser um movimento de tudo ou nada do governo Bolsonaro.

O preço médio de um fuzil, de cerca de 30 mil reais, coloca a liberação como demanda única e exclusiva das milícias.

A tropa de assassinos e achacadores do Rio, que tem na família Bolsonaro admiradores, vizinhos e empregadores, é a única instituição do País que tem interesse nessas armas. E que, em meio a uma quase recessão, tem essa grana toda disponível.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

As manifestações do dia 26, embora cada vez mais desprestigiadas, foram pensadas para dar respaldo às intenções de Bozo de governar com grupos paramilitares, à moda da SS nazista - embora Bolsonaro combine mais, em estilo e condição mental, com os Tonton Macoutes, do sanguinária ditadura dos Duvalier, no Haiti.

Estamos entrando em um embate civilizatório.

Já passou da hora desses delinquentes serem afastados do poder.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247