Lula admite apoiar até França no segundo turno em São Paulo

"Lula sinalizou que o PSB está incluído no arco de alianças, ao lado de PT, PSOL e PCdoB", escreve Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia. "Para ele, se um dos candidatos desses partidos for ao segundo turno, deverá ser apoiado pelos demais. O candidato do PSB é o ex-governador Márcio França, apoiado pelo PDT", complementou

(Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

Falando, agora há pouco, à TV El País, em entrevista a duas jornalistas brasileiras – Carla Jimenez e Flávia Marreiro – o ex-presidente Lula sinalizou que o PSB está incluído no arco de alianças, ao lado de PT, PSOL e PCdoB.

Para ele, se um dos candidatos desses partidos for ao segundo turno, deverá ser apoiado pelos demais.

O candidato do PSB é o ex-governador Márcio França, apoiado pelo PDT.

A pesquisa Ibope de 2 de outubro aponta Celso Russomanno em primeiro com 26%, Bruno Covas com 21% em segundo, em terceiro, Boulos, com 8% e França em quarto, 7%. Jilmar Tatto, do PT e Orlando Silva, do PCdoB, têm 1% cada um.

Mas Lula não foi assertivo ao responder se o PT também apoiará Bruno Covas, se ele disputar o segundo turno contra Russomanno.

“Não conheço Bruno Covas”, esquivou-se.

Apesar de ter sido amigo do avô de Bruno, e Mário Covas e PT terem se apoiado mutuamente em várias eleições, Lula sabe muito bem que a vitória dele em São Paulo ajuda a pavimentar o caminho de João Dória à presidência da República em 2022.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247