Lula está livre, e agora?

"Não podemos nos dar ao luxo de escolher quem deve estar do nosso lado. Temos de buscar alianças para varrer esta milícia que está no poder e acabar com sua política neoliberal que trouxe de volta à fome e a miséria para nosso povo. É preciso, repito, ter consciência de que somos incapazes de fazer isso somente com nossas próprias forças ou contando somente com quem está a nossa esquerda", diz o colunista Mauro Nadvorny

Lula, o filho do Brasil, mais uma vez
Lula, o filho do Brasil, mais uma vez (Foto: Ricardo Stuckert)

Lula está livre, e agora ?

Muitos companheiros se perguntam o que fazer agora que Lula está livre. Nossa maior bandeira da resistência a este governo fascista está de volta entre nós e aponta caminhos, os quais, muita gente está questionando.

A esquerda brasileira nunca governou o país sozinha. Aliás, é bom que se diga, nenhum partido tem maioria para governar sem alianças, e elas tem um custo. O dilema é sempre o mesmo, se me aliar eu consigo realizar a maioria das propostas pelas quais fui eleito, sem alianças, não consigo governar. Simples assim, se chama efeito colateral de uma democracia.

A ideia de que podemos retornar ao poder na esteira deste desastroso governo, fazendo sozinhos maioria na câmara e no senado, é um devaneio irrealizável e sua mera menção um despropósito que não vai nos levar a lugar algum.

Tanto no parlamentarismo, como no presidencialismo, os partidos majoritários precisam se aliar a outros partidos para formarem um governo estável. Isto é bom quando pensamos que estes pequenos partidos representam minorias que assim se veem inseridas na governabilidade. É ruim, quando estes pequenos partidos cobram um preço alto demais para darem seu apoio.

Lula sempre soube costurar boas alianças, inclusive com partidos que todos torcemos os narizes ao serem mencionados. Podem dizer que foi por conta de uma destas alianças que tivemos o golpe contra a Presidenta Dilma até mesmo com o voto de uma pessoa que agora ele tenta resgatar de volta para o partido. Tudo isso é verdade, mas não é toda a verdade.

O fato é que sem este partido, jamais Lula teria feito o melhor governo da história democrática deste país. Todas as suas realizações atribuídas ao governo do PT só foram possíveis com o apoio deste partido e de outros como ele. Se não soubermos reconhecer isso, então temos um sério problema.

Correram rumores de que ele tentou resgatar de volta para o partido uma velha conhecida nossa. Neste caso, talvez, uma pessoa capaz, neste momento, de tirar a prefeitura de São Paulo do PSDB. Alguém acha que isso é pouco? O preço a pagar é alto? Claro que é, mas é o preço a pagar por um bem maior. Se ainda não perceberam, estamos em uma verdadeira guerra, e na guerra medidas excepcionais precisam ser implementadas.

Todos que estamos na resistência, temos tido o prazer de nos encontrar entre iguais, entre amigos na mesma trincheira, fazermos novas amizades e encontrar conforto nas palavras de carinho e apreço de cada um. Isto é o que tem nos mantido unidos e renovados na luta de cada dia. Ninguém solta a mão de ninguém vem sendo repetido a exaustão.

Sabemos que na realidade, esta que está aí fora quando abrimos a porta de casa para sair, é bem outra. Nada do que fomos capazes de fazer até agora mudou o governo que está no poder e sua fome insaciável por causar o maior mal possível a classe trabalhadora. Em sua maleficência diária vai transformando o Brasil em um pária entre as nações.

Lula está livre, e chegou a hora de escutar as lições que ele tem para nos dar. Ele não é perfeito, mas com certeza sua experiência de vida merece nosso respeito e nossa atenção. Precisamos voltar ao poder. O Brasil precisa que estejamos de volta governando o maior número de cidades, de estados e depois o país. Todas nossas ações precisam ser pensadas de maneira pragmática com este objetivo. Hoje o inimigo de nosso inimigo é nosso amigo, simples assim.

Não podemos nos dar ao luxo de escolher quem deve estar do nosso lado. Temos de buscar alianças para varrer esta milícia que está no poder e acabar com sua política neoliberal que trouxe de volta à fome e a miséria para nosso povo. É preciso, repito, ter consciência de que somos incapazes de fazer isso somente com nossas próprias forças ou contando somente com quem está a nossa esquerda.

A perseguição a Lula não terminou com sua libertação e a qualquer momento tudo pode retroceder. Seus algozes continuam soltos, sedentos por vingança, e não se dão por vencidos, pelo contrário, estão procurando a todo momento como calá-lo de uma vez por todas.

Companheiros, é tempo de pensar em aceitar estratégias pragmáticas, aprender com nossos erros e trabalhar juntos para devolver os direitos perdidos ao nosso povo. Trabalhar com um olhar para frente e outro para quem está ao nosso lado. O país precisa de nossa força e disposição para a luta. Nossa militância é imbatível e incansável na resistência.

À luta, com Lula Livre.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247