Lula não vai bater em Bolsonaro

O ex-presidente Lula já avisou que não vai bater em Jair Bolsonaro, apesar das provocações feitas pelo deputado de extrema-direita; "Aos que não entendem isso de não bater no seu maior adversário, o único que é páreo para ele, aquele apontado pelas pesquisas para disputar o segundo turno contra ele, Lula explica: 'Vou deixar que os outros candidatos e a imprensa façam isso por mim'", detalha o colunista Alex Solnik;  "Bolsonaro sabe que já chegou ao teto nas pesquisas de intenção de votos, precisa bater boca com Lula para tirar os dele. Lula também sabe. Bolsonaro pode tirar o seu cavalinho da chuva", completa

O ex-presidente Lula já avisou que não vai bater em Jair Bolsonaro, apesar das provocações feitas pelo deputado de extrema-direita; "Aos que não entendem isso de não bater no seu maior adversário, o único que é páreo para ele, aquele apontado pelas pesquisas para disputar o segundo turno contra ele, Lula explica: 'Vou deixar que os outros candidatos e a imprensa façam isso por mim'", detalha o colunista Alex Solnik;  "Bolsonaro sabe que já chegou ao teto nas pesquisas de intenção de votos, precisa bater boca com Lula para tirar os dele. Lula também sabe. Bolsonaro pode tirar o seu cavalinho da chuva", completa
O ex-presidente Lula já avisou que não vai bater em Jair Bolsonaro, apesar das provocações feitas pelo deputado de extrema-direita; "Aos que não entendem isso de não bater no seu maior adversário, o único que é páreo para ele, aquele apontado pelas pesquisas para disputar o segundo turno contra ele, Lula explica: 'Vou deixar que os outros candidatos e a imprensa façam isso por mim'", detalha o colunista Alex Solnik;  "Bolsonaro sabe que já chegou ao teto nas pesquisas de intenção de votos, precisa bater boca com Lula para tirar os dele. Lula também sabe. Bolsonaro pode tirar o seu cavalinho da chuva", completa (Foto: Alex Solnik)

Bolsonaro está fazendo de tudo para provocar Lula. Não por acaso, quando viu que a caravana petista estava sob ataque no Paraná, deu um jeito de ir até lá, com a sua, formada por Alexandre Frota, seu filho e o deputado Francischini.

Arranjou uma agenda de última hora em Ponta Grossa, mas antes aproveitou para fazer um minicomício em Curitiba no mesmo dia do evento de Lula, day after do atentado à caravana petista.

Ele não tinha nada o que fazer lá, foi só para provocar. “Se Lula está lá, tenho que estar também”. Fez um esforço desgraçado pra ver se ele mordia a isca. Colocou faixa presidencial. Disse horrores sobre o incidente. Culpou os próprios petistas. Brandiu uma espada.

Não adiantou. Lula ficou na dele. Fez de conta que não ouviu.

A reação faz parte da estratégia do ex-presidente. Lula já confidenciou a amigos:

“Jamais vou bater no Bolsonaro”.

Aos que não entendem isso de não bater no seu maior adversário, o único que é páreo para ele, aquele apontado pelas pesquisas para disputar o segundo turno contra ele, Lula explica:

""Vou deixar que os outros candidatos e a imprensa façam isso por mim". "

Bolsonaro sabe que já chegou ao teto nas pesquisas de intenção de votos, precisa bater boca com Lula para tirar os dele.

Lula também sabe. Bolsonaro pode tirar o seu cavalinho da chuva.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247