Lula, sempre Lula

Apesar das repercussões positivas depois do forte pronunciamento do ex-presidente Lula no último sete de setembro, Emir Sader lembra que "Lula sempre esteve aqui. Mesmo vilipendiado, enterrado politicamente e na vida, desqualificado, marginalizado pela mídia. Desde que ele surgiu para a vida política do Brasil, ele faz parte das nossas vidas"

Lula
Lula (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

“Lula voltou”, “Lula não pode ser cancelado”, “Lula como era antes” – não faltaram expressões para saudar o discurso de Lula no 7 de setembro. Alguns saudosos, outros surpreendidos – todos positivamente influenciados pelas palavras do Lula.

E, no entanto, o Lula sempre esteve aqui. Mesmo vilipendiado, enterrado politicamente e na vida, desqualificado, marginalizado pela mídia – Lula sempre esteve aqui. Porque, desde que ele surgiu para a vida política do Brasil, ele faz parte das nossas vidas, da vida do País, da memória e do imaginário de todos.

Alguns, pelo temor até mesmo reverente que têm por ele. Por ele ter, depois de três tentativas, sido eleito como o primeiro operário presidente do Brasil. Operário, nordestino, esquerdista, sobretudo humano, a imagem do Lula tornou-se a mais familiar de toda a política brasileira, em que tantos surgiram e logo desapareceram, mas Lula sempre esteve aqui.

Porque ele surgiu para reivindicar o salário de todos diante da política de arrocho salarial da ditadura. Lutou por todos nós, foi preso, resistiu, saiu apenas para ir ao enterro da sua querida mãe, a Dona Lindu, foi finalmente liberado, com dignidade. 

Livre, Lula seguiu lutando contra a ditadura e pela democracia. A greve liderada por ele quebrou a espinha dorsal da política econômica da ditadura e a condenou definitivamente.

Lula seguiu batalhando para que a democracia reencontrada não fosse apenas o restabelecimento formal das instituições e das eleições, mas fosse uma democracia que chegasse a todos, que democratizasse o acesso à terra, às empresas, ao sistema educacional, ao Estado, à cultura. Por tudo isso Lula foi candidato a presidente, como primeiro operário a ousar ocupar o lugar mais alto da República.

Lula passou a disputar o direito de governar o Brasil em nome de todos nós, dos trabalhadores, da grande maioria dos brasileiros.  Enfrentou pesos pesados da tradicional política brasileira, encarou-os frente a frente, foi massacrado pela velha mídia, mas mesmo derrotado, saiu sempre de cabeça erguida.

Lula passou a representar o combate à desigualdade, à fome, à miséria, à exclusão social, no País mais desigual do continente mais desigual do mundo. Representou a ideia de que todo brasileiro tem o direito a comer três vezes por dia, a não dormir com fome e com frio, a ter casa e acesso à educação.

Até  que a maioria dos brasileiros se convenceu de que Lula tinha razão e o elegeu para dirigir os destinos do Brasil. E Lula foi o melhor de todos os presidentes que o Brasil já teve.

Governou para todos os brasileiros, fez do Brasil um País respeitado no mundo, fez com que os brasileiros passassem a ter orgulho de serem brasileiros. Fez com que todos tivessem consciência do direito de viver melhor, fomentou os sentimentos de solidariedade entre todos os brasileiros.

Mostrou que um presidente não precisa saber falar inglês, mas precisa entender a linguagem do povo, o que o povo quer, o que o povo diz. Passou a ser o brasileiro mais conhecido e mais respeitado no mundo. 

Milhões sonhavam com o Lula, alguns perdiam o sono pelo Lula. Lula foi acusado de forma injuriosa e mentirosa, foi preso sem provas, foi alijado de ter sido eleito no primeiro turno de novo presidente do Brasil, cargo do qual tinha saído alguns anos antes com 87% de apoio.

Lula preferiu a prisão a sair do Brasil, a deixar o País. Encarou a prisão com toda a dignidade, se defendeu com provas e razões, saiu sem ceder em nada, mais forte ainda do que quando tinha sido preso.

Lula sempre esteve aqui, sua presença, mesmo quando não podia nos falar, sempre foi a mais importante da política brasileira, a mais próxima de todos nós. 

O que aconteceu no dia 7 de setembro foi simplesmente Lula de corpo inteiro, o maior líder político da história brasileira indignado com o que estão fazendo com o nosso País, com o País para o qual deu, continua dando e sempre dará o melhor de si mesmo.

É o Lula, o nosso Lula, o Luiz Inácio Lula da Silva, Luiz Inácio Lula do Brasil. O Lula sempre Lula.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247