Lula tem de enfrentar o golpe e derrotar o PSDB, o MPF, o STF e a imprensa de mercado nas ruas

Luiz Inácio Lula da Silva tem de ir às ruas e mostrar à aristocracia do Judiciário burguês que o povo decide seu futuro, porque dono de seu destino. O Brasil é do tamanho gigante de seu povo e não um pigmeu moral e colonizado retratado nas elites donas da casa grande

03/10/2017- Lula durante ato em defesa da soberania nacional no Rio de Janeiro. Foto: Ricardo Stuckert
03/10/2017- Lula durante ato em defesa da soberania nacional no Rio de Janeiro. Foto: Ricardo Stuckert (Foto: Davis Sena Filho)

"Muita gente sabia, muita gente denunciou, mas na época ficou por isso mesmo. Hoje, todo mundo sabe e ninguém tem mais motivo para ignorar: o impeachment da presidenta eleita e reeleita Dilma Rousseff foi resultado de propina e compra de parlamentares. A presidenta da República foi derrubada por um criminoso, que está preso, e que extorquiu dinheiro de empresários para comprar deputados que votassem num impeachment fraudulento. Impeachment comprado tem que ser anulado. O que o STF tem a dizer sobre isto?" (Dilma Rousseff, presidente legítima e deposta da Presidência por um bando de canalhas e quadrilheiros, que tomaram de assalto o poder central).

O Supremo Tribunal Federal (STF), o Ministério Público Federal (MPF) e a Vara do juiz de primeira instância, Sérgio Moro, além da Procuradoria-Geral da República (PGR), transformaram-se ou sempre foram instituições e corporações de uma "nobreza" de punhos de renda e perucas brancas à moda Luís XIV, porque, no Brasil do golpista e usurpador *mi-shell temer, os aristocratas da Justiça e do MPF só faltam bramir, tal qual o monarca francês, a histórica e célebre frase: "O estado sou eu!"

Tais togados de terceiro mundo, que não se importam com o desmonte do Estado nacional praticado por violadores e punguistas dos direitos sociais e das garantias constitucionais do povo brasileiro, comportam-se como se fossem aristocratas e fecham os olhos até para a resolução diabólica do traidor *temer, que permite aos fazendeiros e latifundiários, aos grandes empresários em geral, que os trabalhadores braçais sejam tratados em suas lidas diárias como escravos, sem poder praticamente se defender, porque não têm força de mobilização para exigir seus direitos.

Trata-se de mais uma ação perversa e irresponsável do presidente pária e ilegítimo, irremediavelmente denunciado como ladrão e chefe de corruptos, a dificultar, inclusive, que os fiscais do Ministério do Trabalho e dos Tribunais Regionais do Trabalho punam severamente os maus empresários urbanos e rurais de almas escravocratas, que estão neste momento a "fechar" com o *Mefistófeles suas impunidades, que com sua quadrilha tomou de assalto o Palácio do Planalto e que ora luta para que a segunda denúncia perpetrada pela PGR sobre seus crimes seja engavetada pelos deputados comprados pelo presidiário Eduardo Cunha, como aconteceu com a primeira denúncia devidamente engavetada.

Por sua vez, enquanto o maior biltre ou patife produzido pela história do Brasil continua a retirar de seu baú sem fundo, rotineiramente e diretamente do Palácio do Planalto suas maldades de todo tipo e monta contra os interesses do Brasil e de seu povo, Lula, o ex-presidente que está a ser caninamente perseguido e linchado em praça pública há três anos, desde o advento do "Tribunal da Santa Inquisição Bananeira e Sertaneja", que se localiza na província de Curitiba, com fortes ramificações na tucana Maringá.

A verdade é que o Lula é obrigado a se "virar nos trinta" para ser candidato a presidente da República, além de se defender de acusações sem fundamentos e materialidades por parte de jagunços travestidos de juízes, procuradores e delegados, que se tornaram partidários, pois políticos, à revelia da Lei e dos estatutos de suas organizações estatais, a transformar a Lava Jato em um palanque cuja plataforma específica e principal é tentar impedir a virtual vitória de Lula.

A intenção é barrá-lo das eleições mesmo com o alto preço de as eleições se tornarem vazias e ilegítimas, porque sem a presença do candidato favorito e que representa importantes setores e segmentos populares, a exemplo dos trabalhadores. Impedi-lo mesmo se tiver de utilizar instrumentos de opressão contra o mais importante político de esquerda da história do País, a valer-se de Lawfare e, com efeito, inviabilizar a candidatura de uma liderança que contra ela crime algum foi comprovado, bem como tem o respeito e a admiração de dezenas de milhões de brasileiros, que já deixaram claro que desejam a candidatura popular de Lula, em 2018.

As pessoas já perceberam, no decorrer do tempo, que algo está a cheirar muito mal no reino do golpismo, a ter a Lava Jato como o braço executivo do STF. Como pode até agora e na altura do campeonato uma quadrilha de ladrões continuar a usurpar a Presidência e roubar a República, o País? As pessoas perguntam: Como até hoje não ter sido preso um único tucano, sendo que quase todas as lideranças do PSDB estão envolvidas com corrupções e outros variáveis crimes da sola dos pés até os fios de cabelos, sendo que crimes documentados, como as contas ilegais do senador José Serra (PSDB) no exterior.

Todo mundo percebe que a Justiça brasileira e o MPF, bem como a PF têm lado, preferência partidária e cor ideológica, assim como há mais de três anos a intenção da Lava Jato é desconstruir o Lula e o PT, além de deixar o PSDB, um partido derrotado quatro vezes consecutivas e que por meio de um golpe de estado parlamentar, jurídico e midiático está a governar e a vender o Brasil sem ter autoridade e moral para cometer tais desatinos dignos das infâmias de verdadeiros vilões e traidores da pátria.

O PSDB toma o poder como usurpador e já consta nas páginas mais sujas da história do Brasil como um partido de direita, golpista, entreguista e colonizado, além de ser mais irresponsável e descompromissado com o País do que os políticos da antiga UDN, se isto seria possível, mas é a realidade... O PSDB não é um partido, mas, sim, um operador de negócios e comércios com o patrimônio público que os políticos tucanos jamais construíram, porque o PSDB não constrói nada, pois só entrega o que gerações de brasileiros construíram.

O PSDB no poder sempre cometeu crimes de lesa-pátria como um serial killer, para atender às demandas e os interesses da banca nacional e internacional, além dos grandes trustes de petróleo, que estão a se fartar com o Pré-Sal, que era destinado, sobretudo, para a saúde e a educação de todos os brasileiros, sem esquecer da proposta criminosa de entrega da Eletrobras. O PSDB retrata o Brasil desprovido de soberania e autonomia, porque o que mais acalenta e satisfaz a burguesia subalterna e subserviente deste País é reduzi-lo apenas a um satélite dos EUA e manter o povo brasileiro como mão de obra barata. Ponto.

Por seu turno, a questão fundamental é que o STF se tornou o maior responsável pelo golpe terceiro-mundista de 2016, a superar as culpas e responsabilidades das Organizações(?) Globo, do golpista-mor Aécio Neves, do PSDB, da Fiesp, da OAB, dos coxinhas paneleiros, do Congresso de maioria bandoleira e até mesmo do presidiário Eduardo Cunha, a se igualar ao famigerado e traiçoeiro *mi-shell temer — o Mefistófeles —, porque foi e ainda o é o Supremo que viabiliza e garante o mega Lawfare jurídico e judiciário, que permite, inclusive, que as delações premiadas se tornem ferramentas de dedoduragens e chantagens contra os presos, que passam a entregar até suas mães para saírem da cadeia.

"Liberdade" mediante a acusar aqueles que os procuradores, delegados e juízes têm interesse político, como é o caso de Lula, que até hoje, após três anos e meio de Lava Jato, nada, mas nada mesmo foi comprovado contra o político trabalhista e de esquerda. Até mesmo em sua sentença condenatória e estapafúrdia, Moro reconhece que o Lula não recebeu dinheiro por parte da Petrobras. A sentença do juiz Moro é um acinte ao Estado de Direito, ao Direito e à Justiça, porque realmente baseada em convicções e em manipulações das verdades como ocorreu com o powerpoint leviano e mentiroso do procurador Deltan Dallagnol e sua trupe do MPF.

Os togados e meganhas inventaram uma grande mentira e agora não têm mais como recuar e se redimir perante a Nação, o que, sobremaneira, desmoraliza o Judiciário, o MPF e a PF, que estão visivelmente e nitidamente a empreender a maior caçada judicial e jurídica da história do País, que está prestes a completar quatro anos, sem trégua, compaixão, respeito e consideração a um dos maiores e mais importantes presidentes da história do Brasil, que está a se defender com coragem e a provar dia a dia por intermédio de seus advogados que jamais usou o cargo de presidente da República para benefício próprio. Todo mundo está a perceber a perseguição, inclusive muita gente vestida de CBF que apoiou o golpe bananeiro e cucaracha.

Como o Lula não recebeu dinheiro ilegal da Petrobras, Moro e seus asseclas se debruçam em ataques com denúncias vazias, mas que na imprensa meramente de mercado se tornam torpedos, que atingem em cheio a moral, a honra e a cidadania de Lula e de muitos outros atores desses processos kafkianos, que estão a enfrentar as leviandades, as covardias e as perversidades políticas e ideológicas dos operadores da Lava Jato, que têm as asas do TRF-4 e do STF a protegê-los de suas arbitrariedades e casuísmos. A resumir: a Lava Jato é um instrumento de combate político contra os considerados adversários dos golpistas que tomaram o poder mediante a um golpe, no caso o PT, o Lula e seus aliados.

Juízes a manter, inacreditavelmente, as amarras do golpe sobre o Brasil e os interesses da maioria da população, de forma que seria praticamente impossível que um Congresso comprado a peso de ouro para depor a presidente legítima e constitucional, Dilma Rousseff, conseguisse elevar o medíocre e usurpador *temer, que sempre foi um deputado de poucos votos, à Presidência da República. Sem a participação do STF não haveria como derrubar do poder a mandatária de esquerda.

A principal e mais importante Corte do País, que sempre foi historicamente tendenciosa, injusta, parcial, elitista e partidária, bem como apoiou o golpe de 1964, sendo que apenas três dos 11 juízes na época se contrapuseram aos militares e por causa disso foram cassados. Nos dias atuais, o Supremo segue em suas atividades desditosas e subversivas, pois contrárias à Constituição e ao Estado Democrático de Direito, porque mesmo após o delator e bandido doleiro, Lúcio Funaro, homem-cofre do PMDB nacional ter assegurado que o presidiário Eduardo Cunha comprou cerca de 250 mandatos de deputados para eles votarem a favor do Impeachment (golpe) contra a Dilma.

Contudo e apesar de tudo, ao invés de os magistrados do desmoralizado STF restituírem o poder à Dilma Rousseff por intermédio da anulação do impeachment (golpe), preferem fazer ouvidos moucos e ver o Brasil como um navio à deriva e preste a afundar. Os juízes do STF, partícipes de um tribunal que se tornou de exceção, porque golpista, resolveram cruzar os braços, a ter como último exemplo vexatório e humilhante da atuação do STF o caso do megadelatado da Lava Jato e de outras operações da PF e do MPF, o senador do PSDB, Aécio Neves.

Aécio, a despeito das robustas provas de corrupção materializadas contra sua pessoa, retoma sua cadeira no Senado e consagra, definitivamente, a impunidade e a descrença na Justiça, porque neste País do retrocesso e do atraso os tucanos podem tudo, a andar livres, leves e soltos, porque simplesmente i-nim-pu-tá-veis! A tucanada, ao que parece, está submetida a um Código Penal e Constituição próprios, o que não acontece com o povo brasileiro, que está à mercê da maior rapinagem por parte de um desgoverno corrupto que está a vender o Brasil e a desmontar o estado nacional.

Juízes do Supremo que se acumpliciaram com o crime de terrível e inominável do golpe, que derrubou uma presidente honesta, legítima e eleita pela maioria do povo. Os aristocratas da Capitania Hereditária do Poder Judiciário recusam a anular o golpe dos canalhas e ladrões, a se prestarem aos sórdidos e infames papéis de cúmplices e sócios de um consórcio golpista e de direita formado pelo Judiciário, imprensa de mercado, Congresso, PSDB, DEM, PPS, Fiesp e os coxinhas tresloucados e analfabetos políticos, que hoje estão a ver o que é bom para a tosse.

Estão a sentir, ipsis litteris, o que é realmente um governo de direita e de ladrões, que propiciam o trabalho escravo e eliminam o programa de cisternas dos sertões nordestinos. Apenas dois exemplos de incontáveis exemplos do que tal desgoverno de bandidos e fascistas é capaz de fazer. E aí? Aí é que os juízes e procuradores não se importam com a destruição literal do Brasil como Nação.

O País a desmoronar e esses caras a criar mentiras e notícias distorcidas e manipuladas como forma de manter o Lula sempre na defensiva e sem relaxar, porque a ordem é interditar de qualquer forma a candidatura Lula em 2018. Dane-se o Brasil! A Justiça burguesa, braço direito da casa grande, só não quer o Lula como presidente, a não importar jamais se o político trabalhista é realmente culpado dos crimes a ele injustamente imputados.

Esses magistrados são o fim da picada! Cada vez que um deles se pronuncia, o STF aristocrático fica menor perante o povo brasileiro e seus trabalhadores. Seu nanismo é vexatório e humilhante para a Nação. Os juízes de tal tribunal também sabem há muito tempo que o traidor, abjeto e indigno *mi-shell temer era operador maior, a demonstrar liderança em inúmeros esquemas de corrupção entre agentes do Estado e a iniciativa privada, plena de executivos e empresários corruptos e ladrões.

Trata-se de uma gente mesquinha e sem noção de soberania e independência, que apenas deseja ver o Brasil e seu povo se ferrarem, se possível de verde e amarelo ou com a insuportável camisa amarela da CBF. Considero até que milhões de brasileiros, que se posicionaram contra o golpe bananeiro, devem ter adquirido antipatia e ojeriza profundas pela camisa amarela da Seleção, afinal ver a camisa remonta às micaretas dos coxinhas celerados, analfabetos políticos e que foram contrários aos seus próprios direitos sociais e garantias fundamentais. Surreal! Caso para psiquiatra analisar...

Entrementes, os empresários que nunca ganharam tanto dinheiro no período dos governos petistas, agora vão ter de abrir suas bocarras para engolir o pato amarelo, golpista e corrupto da Fiesp, porque os índices econômicos nunca foram tão ruins desde o Governo Collor. Agora o empresariado muito louco e que se deixa levar por preconceitos ideológicos e de classe ficam a mentir e a dizer que a iniciativa privada é competente, mas o que se vê e comprova é que o setor privado vive a mamar nas tetas grandes e fartas do dinheiro público da Nação desde sempre.

Odeiam o Estado, mas adoram suas tetas! Cínicos e hipócritas, além de mentirosos. Mesmo assim, com toda essa clarividência, o STF não conseguiu decidir, de forma objetiva e sem deixar dúvidas, sobre o gravado, filmado e fotografado senador Aécio Neves — o Mineirinho ou Chato —, que foi pego com a mão e a boca na botija, quando ficou evidente que ele negociou junto ao presidiário e dono da JBS, Joesley Batista, a quantia milionária de R$ 2 milhões, dentre inúmeros esquemas dos quais Aécio participa ou participou, de acordo com o MPF e a PF.

O STF mais uma vez falhou, propositalmente, e deixou a bola com o Senado, que, desmoralizado como a Câmara, não se importa mais com a opinião pública ou que o valha, porque o salvamento de Aécio significa a preservação das peles deles, independente das eleições vindouras, pois corporativamente se fortaleceram e se protegeram de seus crimes, afinal 28 dos 44 senadores que absolveram o Aécio de seus crimes também respondem a inúmeros processos na Justiça. Como sempre digo e repito: Tucanos são inimputáveis! E o STF é a vergonha do Brasil, pois infinitamente menor do que o povo brasileiro.

Enquanto isso o Lula é o "ladrão", porque segundo o MPF e o juiz de Curitiba adoradores de fama fácil e da imprensa de negócios privados mais corrupta e golpista do mundo ocidental, Lula é chefe de organização criminosa. Só o Lula e o PT, porque a Lava Jato existe principalmente para destruir e desconstruir a história do PT e de seus governos, que levaram o Brasil a ser respeitado no mundo, a ter uma diplomacia independente e soberana e a distribuir renda e riqueza, a recuperar o mercado interno, a criar mais de 20 milhões de empregos e a girar a roda da economia, inclusive a resguardar os interesses estratégicos do País, apesar dos muitos erros, que são em números menores do que os acertos.

Entretanto, agora tudo está a passar pela ponte de 2018 que poderá levar o Brasil de volta à democracia e ao Estado de Direito, de forma plena, a findar a condição infernal pela qual passam milhões de brasileiros, que vivem hoje em um País fracassado, mal-humorado, individualista, negativista e violento. O País da falsa meritocracia, hipócrita e semelhante ao powerpoint mentiroso e leviano do MPF de Curitiba e aliado do juiz Sérgio Moro, que reconheceu em sua sentença injusta e desprovida de provas que a condenação de Lula não se baseia nas acusações de que o ex-presidente se beneficiou de dinheiro da Petrobras para comprar o triplex, mas, sim, por suas convicções.

Porém, as acusações imputadas a Lula se baseiam em recursos provenientes da Petrobras, o que, seguramente, não se comprovou e, com efeito, Moro reconhece em sua injusta, arbitrária, parcial e inconsequente sentença que o crime de Lula não se materializou, porque não há provas. Ponto. No Direito não há espaço para divagações e tergiversações. Juiz tem a obrigação de ser justo e sempre se pautar pelos autos dos processos. Fora disso se abre espaços para que fascistazinhos e aventureiros se locupletem, por exemplo, com golpes de estado travestidos de legal e legítimo, quando não é a realidade do que aconteceu com Dilma Rousseff e o Brasil.

Lula, o PT, seus aliados e os 54,5 milhões de eleitores de Dilma não podem esperar que o STF, o vexame e a humilhação do Brasil, anule o impeachment (golpe), afinal o Supremo é parte intrínseca do golpe e seu principal pilar de sustentação. Parece mentira, mas não é. Lula irá concorrer às eleições de 2018 mesmo se for condenado pelo TRF-4 em segunda instância. Na verdade, se houver justiça, os juízes deste tribunal deveriam reformar a sentença de Moro, porque ela não tem fundamento, até porque o próprio juiz de Curitiba reconhece que não há provas contra o Lula. Se esta covardia acontece com um político da força de Lula, imagine o que não fariam juízes e procuradores com um cidadão comum.

O Brasil, sem sombra de dúvida, já vive em estado de exceção e quem o patrocina e o promove é o STF e todos os tribunais superiores, varas federais, MPF e PF. Trata-se da "República de Toga" ou o "Governo de Juízes". Quando isto acontece, só se pode lamentar, porque o País tende cada vez mais a ser desconstruído. Inacreditável, mas aconteceu no Brasil e estamos aí a ter de aturar os coxinhas de togas privatistas e que não entendem bulhufas de Nação e de preservação do patrimônio público.

Demonstram ser totalmente alienados, distantes e dispersos, bem como se percebe que ocupam seus cargos para terem altos salários e, com efeito, curtirem Miami três ou quatro vezes por ano. São consumistas e não compreendem que toda Nação necessita ter projetos de desenvolvimento, independência e soberania. Uma verdadeira lástima.

Lula, então, mesmo a ser incluso na Lei de Ficha Limpa, deverá se candidatar sub judice, além de que o TRF-4 tem inúmeros motivos para inocentar o ex-presidente, o único "chefe de quadrilha" cujos patrimônios nunca foram deles, como o sítio de Atibaia, o triplex de Guarujá e o apartamento vizinho ao seu, que era utilizado pela segurança presidencial. Até as tralhas que Lula ganhou quando presidente viraram motivos de serem criminalizadas, bem como suas palestras ou tudo o que o Lula tem ou deseja ter. Nunca vi tanta covardia cometida por parte do Estado.

A sentença tem de ser revisada pelos desembargadores, pois não há materialidade e a sociedade cada vez mais percebe esse péssimo enredo. Lula está a ir às ruas, porque a população tem de ficar consciente sobre o quê está a acontecer neste País. O Brasil sofreu mais um golpe de estado e que tem por finalidade fazer o País retroceder à Velha República, sendo que em alguns setores, como rural, o retrocesso chega ao ponto de ser análogo à escravidão.

O PT tem de ser estratégico. A direita judiciária não pode ter o direito e a ousadia de retirar da corrida presidencial o principal candidato à Presidência. Seria intolerável, porque as eleições sem a presença de Lula se tornam moralmente ilegítimas e concorre para que a sociedade brasileira fique dividida por anos a fio, além de termos um País ingovernável, porque as desavenças e antagonismos se tornarão insuperáveis.

Luiz Inácio Lula da Silva tem de ir às ruas e mostrar à aristocracia do Judiciário burguês que o povo decide seu futuro, porque dono de seu destino. O Brasil é do tamanho gigante de seu povo e não um pigmeu moral e colonizado retratado nas elites donas da casa grande. É isso aí.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247