Macron e Bolsonaro: Duas faces perversas da mesma moeda

Neste debate dantesco que acompanhamos, o que sobressai é que tanto um quanto outro (Bolsonaro e Macron) revelam verdades sobre um e outro! Bolsonaro é sim, mentiroso! E Macron tem sim, uma visão colonialista com relação ao terceiro mundo. Nisso, Macron se aproveita de um governante fraco e inescrupuloso.

Neste debate dantesco que acompanhamos, o que sobressai é que tanto um quanto outro (Bolsonaro e Macron) revelam verdades sobre um e outro! Bolsonaro é sim, mentiroso! E Macron tem sim, uma visão colonialista com relação ao terceiro mundo. Nisso, Macron se aproveita de um governante fraco e inescrupuloso.

O fogo e as matas sempre tiveram uma relação natural, como raios, reações fermentativas exotérmicas, concentração de raios solares por pedaços de quartzo ou cacos de vidros em forma de lente entre outras causas; Mas o que esta acontecendo neste momento extrapola e, em muito essas causas. A causa dos milhares de focos de incêndio na Amazònia é provocado por ação humana (ou seria desumana?). E é o que esta sendo denunciado por Lula:

Macron faz parte desse produto político que o mundo tem produzido. Ganhou a eleição em 2017, na esteira da rejeição mundial pela pauta progressista, com a eleição de Trump e a saída do Reino Unido do Brexit e em razão de que sua adversária (Le Penn) conseguia ser pior que ele!

Mas Macron e Bolsonaro são neoliberais incontroversos! Os direitos dos trabalhadores, a face tenebrosa de um canalha misógino coaduna com a lógica imperialista de um governante europeu que acredita ser dono do mundo.

Foi mero acaso que leva Macron e Bolsonaro se estranharem! Na verdade, se conseguissem ter 5 minutos de prosa, iriam perceber que são muito mais semelhantes do que se pensa! Portanto, tem razão Macron quando diz que Bolsonaro é mentiroso!

Sim. Bolsonaro não tem a menor intenção de preservar absolutamente nada do que se refere ao meio ambiente. Na visão de Bolsonaro, há uma lógica medieval no que se refere a casamento. Quando este diz que é necessário “fazer um casamento de meio ambiente e progresso”, ele esta dizendo que trata o tema como se fosse proprietário de uma filha ou escrava e que, por esta razão, pode escolher com quem ela deve optar pelo "casamento".

No caso, o noivo é nada mais, nada menos que "o progresso". Um sujeito frio e calculista, que concorda com o "dono da noiva" no que se refere as companhias dela,, que são os índios e os quilombolas que tem sob seu domínio, as demarcações de terras.

Por esta visão estúpida, Bolsonaro afirma que os estados do norte brasileiro, como Roraima, Acre e Amapá estão inviabilizados pois as demarcações de terra não permitem seu progresso. O tal progresso, nem fala nada! Apenas se regojiza e levanta a taça em sinal de aprovação. Não pensa em outra coisa, ao não ser em estuprar e maltratar o meio ambiente, bem ao gosto do seu mito.

Macron é um xenófobo que faz Trump se orgulhar: O governo imperialista francês se volta contra os imigrantes, especialmente da África e do Oriente Médio, prendendo-os em centros de detenção para migrantes em condições desumanas, como no “La Jungla”

Macron enfrenta em seu país os “coletes amarelos” que exigem o aumento dos valores do salário mínimo e das aposentadorias e também a renúncia de Macron, além do cancelamento do aumento dos impostos no preço de combustiveis, que curiosamente é uma pauta supostamente ambiental, que na verdade é apenas uma forma de arrecadar mais e privatizar o patrimônio do povo francês.

Os franceses dizem que é pura hipocrisia chamar de “eco-taxa” a taxa que foi proposta (depois retirada, em razão dos protestos dos coletes amarelos que se alastraram por toda a França) sobre o gás francês, porque o retorno de qualquer genuína eco-taxa teria de ser investido para desenvolver energias limpas – como as usinas movidas pela força das marés. Em vez disso, o dinheiro que entre já está comprometido com o ‘equilíbrio’ do Orçamento, vale dizer, para pagar dívida do governo.

A taxa macroniana sobre o gás é mais uma medida dita de “austeridade”, como os cortes de serviços públicos e “vender as joias da família”, quer dizer, vender empresas que sempre poderão fazer dinheiro, como a Alstom, além de portos e dos aeroportos de Paris. ..” como denuncia Diana Johnstone, escritora norte americana, radicada na França.

No site da revista eletrônica " http://www.ihu.unisinos.br “ tem uma matéria que explica muto bem quem é Macron! ...

"A primeira reação do presidente Macron foi culpar os manifestantes, invocando o mais poderoso argumentos dos globalistas quando querem impor medidas impopulares: o aquecimento global. Fossem quais fossem as pequenas queixas da população – Macron sugeriu – não se podem comparar à importância de salvar o planeta. Mas não conseguiu impressionar o povo que, sim, já ouviu falar de mudança climática e preocupa-se, sim, como todos, com preservar o meio ambiente". Mas não aceita que isso seja usado para aumentar impostos. 

É no tempo de um frigir de ovos que se enxerga - ao prestar atenção - que Macron e Bolsonaro não divergem em sua pratica governamental, pois Macron e Bolsonaro são Duas faces perversas da mesma moeda. O neoliberalismo!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247