Moro ganhou o primeiro duelo

"Sentindo cheiro de carne queimada, Bolsonaro recuou e deu o dito por não dito", escreve Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia. "Moro ganhou o primeiro duelo. Mas não deverá ser o último. E uma coisa é certa: a relação entre os dois nunca mais será a mesma"

Sergio Moro.
Sergio Moro. (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

Desde a assunção de Bolsonaro ao poder o Brasil virou a terra do bang-bang.

Toda hora tem um duelo ao amanhecer.

O mais espetacular, nesse momento, coloca frente a frente, em lados opostos, Bolsonaro e Moro.

Bolsonaro fez a primeira ameaça: vou tirar metade do seu poder se você continuar fazendo corpo mole na investigação sobre meu filho, Flávio.

Investigação na qual o próprio Bolsonaro está envolvido, por causa daquele cheque misterioso de R$20 mil que o serviçal da família, o ex-PM Queiróz, depositou na conta da primeira-dama.

Moro reagiu, ameaçando abandonar o barco, o que colocaria em risco a estabilidade do governo, pois Bolsonaro perderia definitivamente o apoio da elite econômica que ainda o aguenta por causa de Moro.

Sentindo cheiro de carne queimada, Bolsonaro recuou e deu o dito por não dito.

Moro ganhou o primeiro duelo. Mas não deverá ser o último.

E uma coisa é certa: a relação entre os dois nunca mais será a mesma.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247