Moro mostra um Brasil sob a ditadura da toga

Enquanto um único membro da organização se dispõe a devolver 40 milhões de euros, o que significa que ele deve ter surrupiado muito mais, o "chefe supremo" não tem sequer R$ 1 milhão em suas contas. Os seus adversários com certeza vão dizer que o dinheiro dele está bem escondido. Só se for na Lua

30/03/2017- Brasília- DF, BRasil- Juiz Sergio Moro durante depoimento na comissão de reforma do Código de Processo Penal Foto: Lula Marques / AGPT
30/03/2017- Brasília- DF, BRasil- Juiz Sergio Moro durante depoimento na comissão de reforma do Código de Processo Penal Foto: Lula Marques / AGPT (Foto: Ribamar Fonseca)

O juiz Sergio Moro resolveu mesmo cuspir na cara do povo brasileiro, zombar da inteligência sobretudo de juristas e desmoralizar a Justiça, não apenas condenando Lula sem provas a 9 anos e meio de prisão mas, também, sequestrando os seus bens (três apartamentos e um terreno no interior de São Paulo), dois veículos e bloqueando o seu dinheiro, uma "fortuna" de pouco mais de R$ 600 mil, providência arbitrária que não tomou contra outros condenados. Ficou muito claro que ele não tinha isenção nem equilíbrio para julgar o líder petista. Se não está brincando de justiceiro o magistrado de Curitiba pensa que está fazendo o quê com essas medidas contra o ex-presidente?

Combatendo a corrupção?

Duas pessoas emissarias de políticos que não pertencem ao PT foram recentemente flagradas carregando duas malas com dinheiro no montante de R$ 1 milhão, bem mais do que Lula possui nos bancos, e ambas estão livres, leves e soltas. Onde estavam os caçadores de corruptos que não as prenderam? O Presidente da República é acusado formalmente de corrupção passiva e gasta milhões dos cofres públicos para não ser afastado, mas os diligentes caçadores de corruptos sequer falam alguma coisa. Quem eles pensam que estão enganando com essa perseguição escandalosa e absurda ao ex-torneiro mecânico?

O "comandante supremo" da organização criminosa que roubou dezenas de milhões de dólares da Petrobrás, segundo Deltan Dallagnol e seus companheiros da Lava-Jato, não tem nem R$ 1 milhão em bancos, no Brasil e no exterior, enquanto os seus "comparsas" subordinados tem milhões de dólares e de euros. Lula, pelo visto, é o chefe de quadrilha mais imbecil na historia da criminalidade em todo o mundo, pois fica com uma ínfima parte do produto do roubo, enquanto os outros ficam com a maior parte, a grande fatia de dinheiro. Será que existe alguém idiota o suficiente para acreditar nisso? Parece que existe: os pobres coitados que comemoraram a condenação de Lula pelo juiz Moro.

Eles se deixaram convencer pelas notícias tendenciosas da mídia e pelas mentiras disseminadas na Internet, através das redes sociais, ficando com o cérebro deformado pelo ódio, o que os impede de raciocinar com lucidez. Por isso, parece que não sabem distinguir os verdadeiros ladrões, pois ignoram as denúncias contra Michel Temer, acusado formalmente de corrupção passiva pelo Procurador Geral da República, e chamam Lula de larapio, embora até hoje ninguém o tenha acusado de receber um único centavo de propina. Depois de mais de dois anos de investigações sobre a vida do ex-presidente, a única acusação que os procuradores conseguiram contra ele foi a de ser beneficiado com obras num apartamento que não é dele. Foi com base nessa acusação sem provas que ele foi condenado a 9 anos e meio de prisão pelo juiz de Curitiba.

Os verdadeiros ladrões do dinheiro da Petrobrás já confessaram o roubo e um deles, Renato Duque, que foi diretor da empresa, se comprometeu a devolver 40 milhões de euros guardados em bancos europeus. Enquanto um único membro da organização se dispõe a devolver 40 milhões de euros, o que significa que ele deve ter surrupiado muito mais, o "chefe supremo" não tem sequer R$ 1 milhão em suas contas. Os seus adversários com certeza vão dizer que o dinheiro dele está bem escondido. Só se for na Lua, porque os investigadores da Lava-Jato vasculharam minuciosamente toda a sua vida durante mais de dois anos, periciando até os tablets dos seus netos, e não encontraram absolutamente nada. Ele não tem sequer contas no exterior. Apesar disso o juiz Moro, despejando todo o seu ódio contra o líder petista, o comparou ao ex-deputado Eduardo Cunha. Se aqui existisse pena de morte ele certamente o teria condenado a morrer.

Ao tentar prejudicar mais ainda o ex-presidente operário, no entanto, não se contentando em impedi-lo de concorrer à Presidência da República em 2018, cumprindo sua parte mesquinha no golpe que destituiu a presidenta Dilma Roussef, o magistrado deu ensejo a que o país tomasse conhecimento da "fortuna" do líder petista, uma insignificância diante do patrimônio de ex-presidentes da República e da esmagadora maioria dos políticos. E ele ainda tem coragem de acusar – e condenar – o ex-torneiro mecânico por "corrupção passiva". Seria trágico se não fosse cômico. O mais surpreendente é que apesar de Moro ser condenado literalmente por todo o mundo, pela sua decisão escandalosamente política, o Supremo se faz de cego, surdo e mudo. Ninguém diz nada, como uma aprovação tácita ao comportamento arbitrário do juiz de Curitiba. Parece que o Brasil está vivendo mesmo sob a ditadura da toga. Diante disso, vale a pena lembrar o que disse Jesus, segundo Mateus: "Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela Justiça, porque o reino dos céus é para eles".

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247