Morreu Paulo Henrique Amorim

"Destemido, muitas vezes colocou sua tremenda carreira em risco para enfrentar, ao lado do povo brasileiro, os poderosos e os interesses de seus próprios patrões", escreve o colunista Breno Altman, após a morte do jornalista Paulo Henrique Amorim, vítima de infarto

(Foto: TV Record/Divulgação)

O histórico jornalista faleceu nessa madrugada, de infarto, aos 77 anos.

Das poucas vozes dissidentes nas grandes corporações privadas de comunicação, foi um combatente pela verdade e a democracia.

Destemido, muitas vezes colocou sua tremenda carreira em risco para enfrentar, ao lado do povo brasileiro, os poderosos e os interesses de seus próprios patrões.

Inteligente, culto e bem-humorado, fez-se exemplo para varias gerações de jornalistas.

Amigo e companheiro, era das conversas mais agradáveis e iluminadoras. Solidário e atento, encontrá-lo - quase sempre em um mesmo restaurante, para longos almoços - era momento de aprendizado e boas risadas.

Muita tristeza.

Morreu um insubstituível.

Mas fica seu legado, eterno.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247