Não é por Lula, é por todos nós

Não podemos deixar reacionários e suas proles, criadas dentro de muros de condomínios sem nada saber de realidade, ou a ignoram, interromper o avanço democrático, institucional e de igualdade que esse país teve e continua a desenvolver

Nós, jovens, não podemos deixar que reacionários da velha ordem destruam e açodem tudo o que esse país conquistou nos últimos anos.

Não podemos deixar reacionários e suas proles, criadas dentro de muros de condomínios sem nada saber de realidade, ou a ignoram, interromper o avanço democrático, institucional e de igualdade que esse país teve e continua a desenvolver.

Vemos pessoas que no passado fizeram parte do "projeto Brazil" saírem de suas tocas com as velhas armas, que vão da manipulação ao uso do aparato público que conseguiram amealhar na Velha era do coronelismo, essas pessoas antes se encontravam envergonhadas e humilhadas pela luz que clareou a história. E agora viram a oportunidade de voltarem a ditar as regras e a vida da maioria das pessoas,muitas essas que são pessoas que só pensam em trazer alimento e dignidade para sua família e orgulham-se de ver seus filhos em universidades públicas e privadas, algo raro antes, sem sacrificarem sua renda.

Engana-se quem pensa que estamos vivendo somente um confronto entre políticos! A verdadeira face da nossa atualidade é uma batalha social entre aqueles que não querem um Brasil igual, justo, e com oportunidades para todos e aqueles que em pleno século 21 conseguiram ter acesso à internet, energia elétrica, saúde e que conseguiram pela primeira vez fazer uma viajem ao exterior, isso nos últimos 13 anos. E aqui notamos a crueldade da classe média dominante do nosso país, e sua natureza mesquinha. Não querem pobre lotando teatros, cinemas jantando em, restaurantes antes exclusivos e usando smartphones que outrora era coisa de endinheirado, usando roupas de marcas e frequentando universidades onde somente os ricos tinham acesso.

A bandeira hasteada em praça pública contra a corrupção e clamando justiça não tem dono! Ela é do povo, é da nação. Infelizmente parte dos que se acham donos da razão e querem ser exemplos de moralidade – falsos valores – fazem acreditar o povo trabalhador que eles são o modelo de classe a serem seguidos nesse país. Justamente o modelo que no passado implementou um sórdido plano burocrático para sempre obterem lucro, soluções falcatruosas para burlar a sua própria criação e com isso enriquecendo cada vez mais de maneira ilícita e com o maior interesse de todos: manterem-se não só no poder político, mas também sequestra-lo através de suas empresas, seus lobbies nos corredores do congresso, a sonhada casa do povo.

E agora tentam colocar a carapuça em uma só pessoa ou em uma pequena parcela dos políticos desse país. Pobre aquele que enxerga todo esse movimento com uma ótica político-partidária, ideologia falida e putrefata como vemos e se vê em todos os cantos do mundo. Não importa o discurso único de direita ou da esquerda, já se sabe que isso não dá certo. Por isso nós que somos mais inclinados à esquerda, historicamente mais próxima ao ser humano, ao trabalhador em todas as esferas, do chão da fábrica ao escritório na Faria Lima, sabemos e tentamos dialogar com todos, criar um modelo universal que inclua todos ou a maioria num projeto político-social. O problema é que a classe média brasileira é pobre de espírito, é arrogante, prepotente e se acham os únicos e verdadeiros donos do Brasil, mesmo eles demostrando a todo momento como possuem nojo dessa terra, e expondo o seu complexo de vira-latas.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247