Não tem como não desconfiar que Wassef escondeu a mulher do Queiroz

"Não faz sentido imaginar que o ex-PM era tratado com todo cuidado para ser mantido longe das autoridades judiciais e sua mulher, que sabia de tudo, que participava de tudo, não", escreve Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia. "Para ter certeza, poderiam perguntar a Wassef. O que até agora não fizeram"

Márcia Oliveira de Aguiar, Fabrício Queiroz, Frederick Wassef e Flávio Bolsonaro
Márcia Oliveira de Aguiar, Fabrício Queiroz, Frederick Wassef e Flávio Bolsonaro (Foto: Reprodução | Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

Para mim, continua sendo um mistério o fato de a mulher do Queiroz ter conseguido escapar ao cerco policial e seu marido – logo ele, que é o ex-PM, o elo entre os Bolsonaro e os milicianos – ter sido preso sem oferecer resistência, como se estivesse esperando a visita da polícia.

Um leitor de romances policiais poderia imaginar que Wassef ofereceu, de bandeja, Queiroz, que tem casca grossa e é menos suscetível a pressões para delatar e guardou Márcia, que ofereceria risco maior, por não ter experiência em lidar com policiais e com interrogatórios, a sete chaves.

Mas não tenho dúvida que se ele estava empenhado em proteger Queiroz também estava protegendo sua mulher - detentora de segredos fundamentais da quadrilha - e sabe onde ela está.

Não faz sentido imaginar que o ex-PM era tratado com todo cuidado para ser mantido longe das autoridades judiciais e sua mulher, que sabia de tudo, que participava de tudo, não.

Por outro lado, se eu desconfio que Wassef escondeu a mulher do Queiroz e, portanto, sabe onde ela está, os policiais devem também ter desconfiado disso.

Para ter certeza, poderiam perguntar a Wassef. O que até agora não fizeram.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247