O cordel do caixa 2

O tal do cabra é trapaceiro, e num trambique eleitoreiro, fez o povo se alarmar, ocê sabe, né? Hoje é tudo no zap zap, e na fração de um traque, tudo começa a espalhar, o tal Jair, esse é o nome do embusteiro, enganou o mundo inteiro, noticiando enganação

O cordel do caixa 2
O cordel do caixa 2 (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)

Meu amigo!

Onde estiver se assente

Pois esse cabra que não mente

Vai agora prosear

Ocê se lembra,

De um tal homem bendito

Invocado feito mito

Que a pátria ia salvar?

Pois tu não sabe

O tal do cabra é trapaceiro

E num trambique eleitoreiro

Fez o povo se alarmar

Ocê sabe, né?

Hoje é tudo no zap zap

E na fração de um traque

Tudo começa a espalhar

O tal Jair

Esse é o nome do embusteiro

Enganou o mundo inteiro

Noticiando enganação

Chegou a dizer

Que existia um Kit Gay

Inventou que era lei

Pras "criança" obedecer

Disse também

Via mensagem de texto

Que o Haddad quer o incesto

No seio das famílias de bem.

Não satisfeito

Quis mangar de Manuela

Começou a espalhar sobre ela

Um monte de fake news também.

Que mentiroso!

E tu acredita que o seboso

Num ato desavergonhoso

Fez o ódio atiçar?

Lá do palanque

Num rompante meio ianque

Simulou que tinha um tanque

Pros "petista" fuzilar

Até criança

Que é a semente da nossa esperança

Ele encheu de intemperança

Ensinando a odiar

Pegou no colo

E quis a mão da inocente

Pra num gesto inconsequente

Ensiná-la a atirar.

Cê acredita

Que ele gosta da ditadura

É a favor da tortura

E o povo quer armar?

Falando nisso

De armação ele entende

Pros "empresário" ele se vende

Para os "pobre" ele poder comprar

Foram eles

Os "patrão" lá das "elite"

Que bancaram esse despiste

Pra fazer ele ganhar

Mas, deu ruim!

Ele comia feijão com arroz

Mas, lá dentro do caixa dois

Ele escondia o caviar.

Não prestou!

A jornalista descobriu

E pode ter salvado o Brasil

De uma baita confusão

Já imaginou

Um homem que é meio fascista

E ainda por cima, é um grande golpista

Governando essa nação?

Ah, não!

Deus nos livre e guarde!

Eu prefiro o seu Haddad

Ele sim, é cidadão.

Sujeito distinto

Equilibrado, mais humano

Não é igual aquele tirano

Que ainda finge que é cristão

Agora sim

É esperar pra ver

O que a Dona Rosa vai fazer

Ou se vai deixar pra depois

A coisa é séria

Não foi aquele Juiz bastião

Quem um dia disse que a corrupção

Não é pior do que o caixa dois?

Ô dedo podre, sô!

Esse povo é muito néscio.

Depois de votar no Aécio

Por outro cão se enrabichou

Credo em cruz!

Eu li num site de manhã

Que até a Ku Klux Klan

Com ele se identificou.

Eu tô chocado!

O mundo inteiro tá ligado

Lá em marte já foi falado

Até o inferno se abalou

Eu quero ver

O que é que ele vai dizer

Se a justiça entender

Que ele prevaricou

Quer saber?

Eu acho muito é bem feito

É bom pra esse sujeito

Parar de se gabar

Não é possível

Que essa gente não enxergue

Que esse homem é um jegue

De no cabresto amarrar

Vou-me já!

Já lhe contei a história

Agora eu vou pra glória

Do aconchego do meu lar

Lá eu descanso.

Deixo tudo pra depois

Mas, esse tal de caixa dois

Vai dar muito o que falar.

E eu presto conta

Do soldado ao Coronel

No caixa dois do meu cordel

Só tem verdade pra mostrar.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247