O desmoronamento ético e estrutural de Brasília

A capital da República está caindo aos pedaços, nos sentidos comum e figurado. A queda de Brasília reflete a própria decadência do país que ela representa

A capital da República está caindo aos pedaços, nos sentidos comum e figurado. A queda de Brasília reflete a própria decadência do país que ela representa
A capital da República está caindo aos pedaços, nos sentidos comum e figurado. A queda de Brasília reflete a própria decadência do país que ela representa (Foto: Guilherme Coutinho)

A capital da República está caindo aos pedaços, nos sentidos comum e figurado. Por um lado, a jovem cidade, outrora tombada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, vê seus viadutos e garagens, precocemente envelhecidos, literalmente tombarem ao chão, em tragédias anunciadas. Por outro lado, como sede dos três poderes, Brasília presencia a maior decadência ética de sua recente história, sediando um Executivo golpista, um Legislativo corrupto e um Judiciário autoritário. A queda de Brasília reflete a própria decadência do país que ela representa.

Enquanto parte do eixão – uma das vias mais movimentadas da Capital –vai ao chão, milagrosamente não deixando junto com seus escombros nenhuma vítima fatal, do Palácio do Planalto, não muito longe dali, Temer continua dando sequência ao golpe que iniciou em 2016 com a deposição injusta de Dilma Rousseff. Em plena luz do dia, e sem fazer questão de se esconder da imprensa, ele utiliza dinheiro público para comprar votos de deputados para a aprovação da Reforma que, se aprovada, retirará de milhares de brasileiros o direito a uma aposentadoria justa.

Essa é a própria cara do golpe. Aprovar pautas que jamais seriam propostas pelo governo eleito e nunca seriam referendadas pela sociedade. Os conchavos entre os dois poderes não param por aí. Extremamente impopular nas ruas, Temer goza de prestígio no Congresso mais corrupto e conservador de nossa história. O conluio entre os poderes matou a CLT, perdoou dívidas de milionários e salvou os intocáveis da República, temer e Aécio, por duas vezes cada. Tudo isso com o dinheiro do contribuinte. O golpe não acabou, vem mais por aí.

Em frente ao Planalto, logo após a praça dos 3 poderes, fica a sede máxima do Poder Judiciário brasileiro. Se antes a justiça só participava do golpe por inércia e omissão, o olimpo da magistratura passou a ocupar papel de protagonista. Aplicando uma impiedosa perseguição ao maior líder político do Brasil, se movimentando em todas as frentes para inabilitar Lula de concorrer às eleições, instância após instância, continua a condenar a esquerda e a absolver os tradicionais aliados da velha política aristocrática. A magistratura, com seus salários e penduricalhos se tornou uma casta intocável, conservadora e, o pior, com orientação ideológica coordenada. A Justiça brasileira tem partido, e esse partido é o PSDB.

Brasília é uma jovem senhora de apenas 57 anos. Idade de adolescente e aparência de idosa. O fato de uma cidade tão jovem já estar caindo aos pedaços, literalmente, em tão pouco tempo, diz muito sobre o país que lidera politicamente. A capital de todos os brasileiros precisa se reerguer física, moral e eticamente, renascendo diretamente das mãos do povo e da democracia. Apesar da cúpula governamental, a cidade vive e, assim como seu país, demanda por mudanças urgentes.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247