O fim do petismo: lições capitais

O PT e o seu discurso social-democrático foram literalmente engolidos pelo discurso do capitalista com o qual se aliou para se eleger e governar o Brasil a partir de 2002

O PT e o seu discurso social-democrático foram literalmente engolidos pelo discurso do capitalista com o qual se aliou para se eleger e governar o Brasil a partir de 2002.

Anterior à primeira eleição de Lula, o mesmo foi claro ao se dirigir ao líder do movimento dos sem-terra à época, José Rainha, quando indagado sobre a aproximação perigosa dos vermelhos aos empresários, banqueiros e demais burgueses:

"Companheiro José Rainha, primeiro é preciso ganhar as eleições para a gente fazer as Reformas.". disse-lhe Lula.

Dito e feito, até a escolha de seu Vice-Presidente, o mega-empresário José Alencar, já assinalava a composição política para concorrer e vencer as eleições presidenciais de 2002.

Em princípio, nada demais até aí, pois de fato, Lula já fora derrotado por três eleições consecutivas com o apoio apenas de suas bases ideológicas e parecia perceber que "bater de frente" contra o capitalismo monetário somente com o "amor à arte" seria uma luta quixotesca em vão, pois os moinhos não eram de vento, o poder do capital era bem concreto e avassalador.

Talvez o que Lula não imaginasse fosse aquilo subjacente à lógica perversa que engendra e estrutura a ética capitalista sem limites que sempre quer mais...

Com o governo Dilma e o seu vice peemedebista, Michel Temer, supostamente decorativo e inofensivo até certo ponto, as coisas tomaram um rumo dramático no campo das alianças forjadas entre ideologia popular de base versus representação inescrupulosa do "capitalismo canibal".

Temer, na verdade, com o seu sangue genético 'vamp' , desvelou a sua face infiel e sanguinária. Se ele era considerado vice decorativo, subitamente, ele se transformou em vice vingativo, escroque simbólico da oposição capitalista e dos senhores da Casa Grande.

Talvez aí resida o grande erro do Partido dos Trabalhadores de Dilma: excessos de concessões administrativas governamentais contrapondo-se cabalmente à ideologia partidária e a vontade popular que a elegeu por dois mandatos.

A governabilidade Dilmista tornou-se insustentável no mato político emergido, habitat e lócus de cobras venenosas mortais que Dilma continuou a alimentar descaradamente em seu criatório germinal insaciável desde a era Lula.

Entretanto, sem o carisma nem a habilidade política de Lula, fatalmente Dilma seria mortalmente picada, como de fato o foi de forma letal. Aqueles que maçiçamente poderiam defendê-la nas ruas e nas praças já percebiam o fracasso de sua política frouxa e entreguista, pois a mesma não deixou de traí-los ao se aproximar demasiadamente do inimigo capital. Nada poderia ser mais feito, não existe soro antiofídico para essa espécie de cobra venenosa, metade homem e metade animal peçonhento matador.

A essa altura da globalização capitalista que somente goza com a destruição do Outro e do planeta Terra, apenas lutas ideológicas fragmentadas contra o poder do capital com o seu discurso simbólico naturalizador da realidade social mundana num grande mercado de consumo, fatalmente se sucumbirá qualquer forma combativa. A grande maioria dos servos (eleitores) já foram objetificados dentro de um mundo imaginário mercantil de onde talvez não se saia mais...

A propagação imaginária do perdão dos céus através da compra de passaporte para o paraíso metafisico extraterrestre, também um modelo assentado na lógica capitalista, parece ser a última reserva de salvação da classe popular.

Não se diz aqui que o capitalismo humano seja um mal em si mesmo, senão o seu uso mortífero.
Como não se pode vencer o capitalismo de frente, quem sabe o "pulo do gato" deva se dar pelas beiradas, num encontro somente intersticial com ele, sem, contudo, se prostituir junto a ele.
Daquele PT de Lula, e, principalmente, com esse último e derradeiro de Dilma, restam apenas algumas lembranças nostálgicas positivas, arranjos atrapalhados, perda completa da identidade partidária original do PT.

Que pelo menos fique essa triste lição capital. Petismo desandou...

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

O Holocausto nosso de cada dia

Como é possível um país que nasceu nas cinzas do Holocausto, um genocídio cuja brutalidade e especificidade gerou uma denominação única para ele, que suspende todas as atividades no dia da sua...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247