O golpe e quem é quem politicamente na sociedade e na internet

www.brasil247.com -
(Foto: Divulgação)


Por Davis Sena Filho 

Eu estou realmente de saco cheio de gente que serve ao governo e dos que atuam nas artes, na política, na imprensa, no empresariado, nos segmentos de classe média e no Estado e suas várias vertentes de poder e mando nas três esferas de poder.

Inclusive, muitos desses e dessas que vomitam suas pérfidas rebeldias de hora e conveniência, quando viram e perceberam que são diretamente e indiretamente cúmplices da destruição moral, social e econômica do Brasil, agora de arvoram de combatentes do atual governo fascista e ultraliberal, mas compuseram as fileiras golpistas contra os governos e trabalhistas do PT, uns de forma ativa e outros por meio do silêncio arrebatador.

A verdade nua e crua é que grande número das pessoas, homens e mulheres, que escrevem e publicam em sites e nos meios de comunicação tradicionais, de uma forma ou outra, são indivíduos arrependidos por terem realmente ajudado na derrocada dos governos progressistas do Partido dos Trabalhadores.

Sei disso e vi isso, como vejo o céu azul em dia de sol e liberto de nuvens. Apesar de eu gostar de nuvens e de chuva. A verdade é que esse monte de gente, famosos ou nem tanto, talentosos ou de rotina comum, se equivocaram gravemente de uma maneira ou outra, não porque são maus, oportunistas ou levianos, mas por serem no fundo despolitizados quanto às realidades dos fatos decisivos para o Brasil, principalmente na época em que foram cúmplices do golpe de 2016 e a prisão de Lula em 2018, pois, como já disse, muitas dessas pessoas somente abriram os olhos quando viram o que é a degradação moral, econômica, sanitária, ambiental e política dos desgovernos de Temer e Bolsonaro, que vieram também para desmontar criminosamente o Estado nacional e entregar o patrimônio público à iniciativa privada.

O problema é que o buraco é mais embaixo e não ser analfabeto político é uma questão de compreensão e sabedoria, porque ver nem sempre é enxergar e entender muitas vezes não é compreender. E é por isto que esse monte de pessoas que se acumpliciou com a derrubada do PT, mas que hoje demonstra arrependimento, a exemplo de muitos jornalistas, empresários, políticos, artistas e a população em geral.

Essas pessoas se achavam politicamente e culturalmente descoladas e agora percebem o quão um passo mal dado influencia em suas próprias vidas, inclusive no que tange à questão de sobrevivência, porque como todo mundo sabe o golpe contra a democracia e o estado de direito causou prejuízos sociais e econômicos inenarráveis, ao ponto de o próximo presidente eleito ter de fazer um governo de reconstrução nacional, de forma a dar início à recuperação do País em todos os sentidos, porque no momento se encontra em estado falimentar, em todos setores da economia, principalmente no que é relativo à economia interna.

Por sua vez, após o caldo entornado, deparo-me diariamente com os arrependidos que parece que recuperaram seus juízes e hoje se comportam como os titãs do combate a todo esse estado de coisas que acontecem no Brasil desde 2013, sendo que o golpismo recrudesceu em 2025, sendo que em 2026 Dilma Rousseff foi deposta, assim como o arbítrio e o casuísmo continuaram com a prisão injusta de Lula, por parte de um juiz ladrão, até a sociedade brasileira chegar ao fundo do poço ao eleger em 2018 um fascista e negacionista para presidente da República, cujo lamentável apelido é Bozo. Trata-se do pior mandatário e da pior administração de todos os tempos em todos os sentidos. O verdadeiro e real fracasso retumbante!

Agora estão aí os arrependidos e os omissos que flertaram com o golpe contra Dilma e deu no que deu. Agora tentam amenizar suas culpas e responsabilidades por meio de suas imagens e declarações, artigos e opiniões, de forma a se afastarem ou até mesmo se livrarem de suas terríveis escolhas políticas, que redundaram no golpe de estado, por meio da infâmia e farsa chamadas de "pedaladas", bem como permitiram, todas essas pessoas "arrependidas" e omissas que um homem inocente fosse preso injustamente por um juiz ladrão e corrupto para que um fascista negacionista tomasse de assalto o poder central.

Estão todos aí no Brasil 247 e em inúmeros veículos de comunicação das mídias familiares, corporativas e dos sites, blogs e portais da internet, sem generalizar, a freneticamente limpar a barra pesada de suas escolhas pré-golpe e duranta a prisão totalmente covarde, infame e injusta contra Lula, que ainda, depois de derrotar o sistema judiciário e policial de dentro da cadeia, ainda tem de aturar levianos plenos de má-fé intelectual e perversidades a ofendê-lo de corrupto e ladrão sem nunca ter sido, sem nunca ter incorrido em ilegalidades, como o foi comprovado pela própria Justiça, que o encarcerou injustamente e de modo farsesco e fraudulento por longos 580 dias.

Estão aí, todos eles e todas elas, a se mostrarem indignados e indignadas, mesmo a saber que cooperaram, de uma maneira ou outra, com a destruição do Brasil como nação, porque a verdade é que o golpe contra Dilma e a prisão de Lula representam literalmente a luta de classes. Sei muito bem quem desceu do muro ou pulou a cerca para depois da tragédia que foi o golpe com direito a Temer e Bolsonaro e mostrar-se agora "muito" indignado. Sei, e como sei... 

A luta pela democracia, pelos direitos sociais e pelo estado de direito começou muito antes de 2016, quando o usurpador, traidor e golpista Michel Temer e sua herança, o fascista ultraliberal Jair Bolsonaro tomaram de assalto o poder central. Que os meios de comunicação, principalmente os sites e portais progressistas que fazem o combate político pela internet saibam quem é quem e como se posicionaram a partir de 2013, quando se iniciaram os primeiros movimentos dos coxinhas de camisas amarelas da CBF, os futuros bolsominions. É isso aí.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247