O neoliberalismo em xeque

A verdade nua e crua é que a conversa fiada do neoliberalismo, fez foi aprofundar o fosso social no mundo inteiro. De acordo com a OXFAM, ONG britânica ramificada em mais de 90 países, apenas 8 bilionários concentram metade da riqueza mundial (eram 62 ). Esse super-ricos põem na conta bancária o equivalente ao que 3,6 bilhões de pessoas colocam no bolso para sobreviver

Fórum Econômico Mundial, Davos, Suíça
Fórum Econômico Mundial, Davos, Suíça (Foto: Sebastião Costa)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Nasceu atraente feito um galã de cinema. forte como uma dama de ferro.
Margaret Thatcher na Europa, Reagan nos EEUU

Seguiu pela América Latina, com o mexicano Salinas, Menem na Argentina, Pinochet no Chile e no Brasil, Collor e FHC.
Todos comprometidos até a medula com os dogmas da direita mundial e sem uma gota de sensibilidade social

Vale informar, que alguns líderes latino-americanos, Lula, Correia, Evo, Chavez, que rezam no catecismo da esquerda, rumaram por outras veredas e elevaram o padrão de vida dos pobres de seus países

A conversa do neoliberê era muito bonita: Recolhe-se o Estado e deixa o mercado resolver.
A famosa teoria do "trickle-down", o "gotejamento" que transborda dos mais ricos para os mais pobres, iria distribuir renda, reduzindo as desigualdades sociais

Mas, parece que finalmente os adoradores do Deus mercado deram o braço a torcer e admitiram que essa história de neoliberalismo era mesmo conversa pra boi dormir e encher o bolso deles às custas da pobreza e miserabilidade que se espalhou pela Europa EEUU e América Latina

Pois não é que, às vésperas do Fórum Econômico Mundial, um relatório dos organizadores fala em "uma nova agenda de crescimento e desenvolvimento"; e que é necessário "padrões medianos de vida –isto é, o povo – no centro das estratégias nacionais de desenvolvimento e da integração econômica internacional".


Neoliberalismo preocupado com povo? Onde já se viu! Tá mais pra Porto Alegre do que Davos.

Tem mais: quem abriu o Fórum foi Xi Jimping, líder do 'continente' chinês, com a economia fortemente monitorada pelas garras do Estado e sem dar a mínima para essa 'besteira' de democracia , inventada pela elite econômica pra manter em suas mãos os cordões que movem a política de quase todos países do mundo ocidental

Até o criador do Forum Mundial Econômico, Klaus Shwab andou entregando os pontos: "Está claro que, hoje, as coisas não estão indo bem para essa visão aberta e pragmática de progresso. Líderes têm sido demonizados como 'a elite'. A retórica antiglobalização está ameaçando a economia colaborativa e as estruturas comerciais..."

A verdade nua e crua é que a conversa fiada do neoliberalismo, fez foi aprofundar o fosso social no mundo inteiro. De acordo com a OXFAM, ONG britânica ramificada em mais de 90 países, apenas 8 bilionários concentram metade da riqueza mundial (eram 62 ). Esse super-ricos põem na conta bancária o equivalente ao que 3,6 bilhões de pessoas colocam no bolso para sobreviver.

No nosso país, esse time cai para 6 brasileiros abocanhando US$78 bilhões, que correspondem à renda de 100 milhões de pobres e miseráveis que vão conviver nos próximos 20 anos numa penúria social sem precedentes na história do país.

E lá no frio dos Alpes suíços, enquanto o anfitrião do evento, Klaus Shwuab reconhece a falência do projeto neoliberal, e o próprio FME areja seu discurso com propostas de alcance social, o ministro Henrique Meirelles leva na bagagem a mensagem do governo Temer de mais privatizações, arrocho econômico e sufocamento das camadas mais vulneráveis da sociedade brasileira.

Lembranças do Brasil de Collor e FHC!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247