O patético Weintraub provoca a China

Na diplomacia internacional ninguém mais acredita no Brasil, que já virou um pária internacional. As provocações e os falsos pedidos de desculpas são recorrentes. No mês passado, por exemplo, o filhote 03 do “capetão”, o Dudu Bananinha, já havia culpado a mesma China pela propagação do coronavírus

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O "imprecionante" Abraham Weintraub segue na disputa pelo título de o mais patético e imbecil ministro do laranjal. Em plena crise do coronavírus, o nanico resolveu atacar a China – principal parceiro comercial do Brasil e o maior fornecedor de equipamentos de saúde no tratamento da pandemia.

O jornal Valor, dedicado à cloaca burguesa, informa que o governo teme os efeitos do piriri verborrágico de Weintraub. O general Hamilton Mourão e a ministra da Agricultura foram acionados para apagar o incêndio. "A posição do governo brasileiro é de amizade com a China", jurou a ministra-ruralista Tereza Cristina.

Mas o "capetão", que vive enfiando sua canetinha no bolso, nada fez contra o ministro-panaca da Educação, que segue obrando besteiras. Ainda segundo o Valor, “Weintraub diz que ‘troca’ desculpas por respiradores... Ministro quer que chineses vendam mil respiradores a preço de custo para o Brasil". Haja diplomacia!

Expressão grotesca do bolsonarismo  

Abraham Weintraub, Ernesto Araújo (o "chanceler idiota", segundo a Band) e Eduardo Bolsonaro (o Dudu Bananinha) são a expressão grotesca do bolsonarismo como vertente do fascismo. Seguidores fanáticos do filósofo de orifícios Olavo de Carvalho, os três já deveriam estar internados!

Enquanto o patético Weintraub, o "chanceler idiota" Ernesto Araújo e Eduardo Bolsonaro, Dudu Bananinha, se comportam como vira-latas sarnentos dos EUA, Donald Trump se apodera do insumos médicos da China e já negocia um contrato de venda de soja. Os ruralistas, que apoiam o laranjal de Bolsonaro, ficarão calados?

As incisivas reações chinesas  

Diante de mais um incidente diplomático provocado pelos olavetes, a embaixada da China no Brasil foi novamente incisiva na resposta. Em sua conta oficial no Twitter, ela demonstrou “indignação” às declarações de Weintraub, que “são absurdas e desprezíveis e têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis”.

Ainda segundo a postagem, as provocações do ministro causam “influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil". Em tom duro, o embaixador Yang Wanming também exigiu que os provocadores “corrijam imediatamente os seus erros e parem com acusações infundadas contra a China".

Na diplomacia internacional, porém, ninguém mais acredita no Brasil, que já virou um pária internacional. As provocações e os falsos pedidos de desculpas são recorrentes. No mês passado, por exemplo, o filhote 03 do “capetão”, o Dudu Bananinha, já havia culpado a mesma China pela propagação do coronavírus.

Na ocasião, o embaixador Yang Wanming também exigiu desculpas do filhote e do governo: “Suas palavras são um insulto maléfico contra a China e o povo chinês. Tal atitude flagrante anti-China não condiz com seu estatuto como deputado federal nem [com] a sua qualidade como uma figura pública especial".

O embaixador chinês chegou a afirmar que Eduardo Bolsonaro contraiu “vírus mental” ao voltar de viagem a Miami (EUA), “infectando a amizade entre nossos povos”. Temendo represálias, o paizão do Dudu Bananinha até ligou para o líder chinês Xi Jinping para pedir desculpas. Mas era bravata. O clã Bolsonaro não tem cura!

O silêncio dos covardes ruralistas 

Agora, com a nova provocação obrada pelo patético Weintraub, alguns analistas avaliam que os efeitos serão mais prejudiciais. “Esse acúmulo de feridas realmente pode levar a decisões mais sérias por parte do governo chinês”, alerta o chefe da Câmara de Comércio e Indústria Brasil China, o empresário Charles Andrew Tang.

Com o mesmo temor, o deputado Fausto Pinato (PP-SP), presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária da Câmara Federal, afirma que a sandices contra a China podem “comprometer as parcerias do agronegócio com o Brasil, favorecendo outros países... Isso beira a insanidade e a irresponsabilidade com o agronegócio".

Como aponta a Folha, os ruralistas são os que mais temem os atritos diplomáticos. “Em relação à soja, por exemplo, o papel da China é fundamental. Somente no ano passado, o país comprou quase 80% de toda a produção da commodity produzida em solo brasileiro. O mesmo ocorre com o frango e a carne suína”.

“Uma eventual retração de investimentos atingiria em cheio o agronegócio, um dos segmentos que mais apoiam Bolsonaro. No mesmo sábado do post de Weintraub, a China anunciou que pretende reduzir, “por questão de segurança”, as importações de soja brasileira e ampliar as dos EUA. Apenas uma coincidência?

Além de maior parceiro comercial, a China é responsável pela produção de mais de 90% dos equipamentos de saúde em escala global. "Nessa guerra atual contra o coronavírus, o mundo inteiro depende da China. Os Estados Unidos, por exemplo, mandaram aviões para buscar ventiladores e outros componentes”.

Vale lembrar que a China é o maior parceiro comercial do Brasil. Em 2018, 26,7% das exportações brasileiras tiveram o país asiático como destino. Além de maior compradora de produtos nacionais, a China também investiu US$ 79 bilhões no país entre 2003-2019. Abraham Weintraub é um olavete maluco!

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email