O processo de Dilma R

A única diferença entre "O Processo" e "O Golpe" é que a história fictícia de Franz Kafka termina com a execução física de Josef K.. A história real da condenação de Dilma R só deve acabar com a execução política do torneiro mecânico

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Na obra do tcheco Franz Kafka, o personagem Josef K é preso logo no início, depois é que vem toda a narrativa. 

A condenação de Dilma R começa com a narrativa de um torneiro mecânico metido a besta, se tornando presidente do Brasil sem a devida bênção da elite nacional. Onde já se viu! E ainda cometeu a 'besteira' de sair de dois mandatos com 85% de aprovação. De quebra, elegeu e reelegeu Dilma R.

A elite branca, como diria Cláudio Lembo, há 470 anos movendo os cordões do poder político jamais iria engolir tamanha ousadia

Josef K é condenado sem nunca saber de um único motivo que justifique sua prisão. Dilma R é condenada a deixar o poder sem uma única justificativa jurídica.

Se não existia motivação jurídica, arrume-se um pretexto. Dilma R, sem muito jogo de cintura, sem carisma e muita chuva e trovoadas sopradas pela segunda maior crise econômica da história e estava quase pronto o cenário para a condenação. Vaqueiros midiáticos convocados a tanger a boiada deram o toque final.

O escritor deixa transparecer na condenação de Josef K, um nítido ultraje ao estado democrático de direito. Arrancam-se quase três anos de mandato de Dilma R sem se dar a mínima para o estado democrático de direito.

O leitor mais atento vai enxergar nos 'becos e vielas' da obra kafkiana, que a justiça que processa o personagem pisoteia a razão para submeter-se aos ditames de uma classe dominante A justiça, no julgamento de Dilma R, fecha olhos, tapa ouvidos e deixa rolar a farsa política movida à distância pela classe dominante.

Em 1988, o museu de Literatura Moderna de Marbach, na Alemanha adquiriu em leilão, os originais da obra "O Processo" por 2 milhões de Euros
Em 2016, de acordo com o economista/jornalista J. Carlos de Assis, a obra do golpe contra Dilma R custou aos cofres da FIESP, a bagatela de 500 milhões de reais.

A única diferença entre "O Processo" e "O Golpe" é que a história fictícia de Franz Kafka termina com a execução física de Josef K.. A história real da condenação de Dilma R só deve acabar com a execução política do torneiro mecânico.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247