O sonho de Macri é trazer para Argentina o fim das leis trabalhistas que Temer promoveu no Brasil

Evidentemente o Macri é um desastre, é uma nulidade, mas é um presidente legítimo, ele foi eleito. O Temer é um desastre, é uma nulidade e é ilegítimo

Presidente Michel Temer durante encontro com Presidente da República Argentina, Mauricio Macri (Olivos - Argentina 03/10/2016)
Presidente Michel Temer durante encontro com Presidente da República Argentina, Mauricio Macri (Olivos - Argentina 03/10/2016) (Foto: Eric Nepomuceno)

(originalmente publicado no Nocaute)

A gente menciona com muita reiteração, com muita insistência as semelhanças entre o que acontece no Brasil do Michel Temer e o que acontece na Argentina do Mauricio Macri. Agora, eu queria mencionar duas, três diferenças. Primeira diferença: evidentemente o Macri é um desastre, é uma nulidade, mas é um presidente legítimo, ele foi eleito. O Temer é um desastre, é uma nulidade e é ilegítimo. Segunda diferença importante: a Argentina têm uma inflação galopante em dólar o que é uma tragédia para qualquer país. O Brasil têm uma recessão, uma deflação praticamente, porque ninguém tem dinheiro para comprar nada. Terceira diferença e esta eu me alegro: a moda das moças em Buenos Aires nesse inverno que é duríssimo, sapatos com uma sola deste tamanho, que eu detesto, e jeans rasgados, propositalmente rasgados. Toda repetição acaba sendo monótona, agora tirando isso, essas diferenças, o resto é assombrosamente igual.

O sonho de inverno do Mauricio Macri é trazer para cá a destruição das leis trabalhistas que o Michel Temer conseguiu aprovar em um Congresso comprado do Brasil. É muito lamentável o que acontece nos nossos países. Quer ver outra semelhança que não é só aqui? A judicialização da política. Começou, vamos lembrar, com Fernando Lugo no Paraguai que sofreu um Impeachment express 48 horas eles estava deposto sendo que ele teve verdade seja dita, duas horas para fazer a sua defesa, duas horas.

No Brasil o combate à corrupção, que é absolutamente necessário e fundamental, virou motivo para um autoritarismo, para uma exacerbação de funções, uma coisa completamente desmedida dessa turma de jovens garotos evangélicos da Lava Jato. Aqui acontece uma coisa muito parecida. Portanto, as diferenças não são lá essas coisas, tirando o sapato de sola deste tamanho e essa mania de jeans rasgadinho no joelho, as diferenças não são lá essas coisas e as semelhanças são catastróficas. Mas eu faço um brinde ao futuro, eu sou de uma geração que teimosamente continua acreditando no futuro e um brinde a essa diferença que, por favor, as moças brasileiras não venham com solas dessa grossura. Ah, outra diferença a mais: aqui o vinho nacional é muito bom e barato. Salut!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247