Omissão sobre Queiroz e assassinato de Marielle é um tapa na cara de todos os brasileiros

Um dia a verdade virà, realmente à tona, mas temo que o crime da omissão, da prevaricação, já esteja prescrito. Não é o caso de pedir prisão ilegal de ninguém, mas, sim, investigação, justa, séria para todos

(Foto: Ninja)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A omissão do judiciário em relação às açõe ilícitas do Queiroz e do assassinato de Marielle é um tapa na cara de todos os brasileiros honestos. Antes, perguntávamos cadê o Queiroz, como perguntamos quem realmente matou e quem mandou matar Marielle Franco. Agora, sabemos que o Queiroz mora em São Paulo, no bairro luxuoso do Morumbi, se trata no Hospital Albert Einstein, destinado a ricos  (nada contra sua condição financeira, desde que lícita)  e continua fazendo seus negocinhos de intermediação de cargos, sempre apontando o padrinhamento da família Bolsonaro. Sobre Marielle, pouco sabemos.

Será que os dois casos, Queiroz e Marielle, estão entrelaçados? Não sabemos, mas o que sabemos é que o judiciário e a chamada grande mídia (jornalismo investigativo? Onde?) se omitem no que podem em relação aos dois.

É um estridente e forte tapa na cara da gente estas omissões. Tapa na cara de Lula, preso sem prova alguma; tapa na cara de Vaccari, que foi jogado na prisão durante mais de quatro anos, sem provas; tapa na cara de José Dirceu, do juiz Siro Darlan, das centenas de pessoas que acordaram nos últimos tempos com a Polícia Federal em sua porta às seis horas da manhã, sob os olhos assustados de seus filhos e netos, esposas e vizinhos. Muitas delas presas ou interrogadas de forma coercitiva sem necessidade alguma, para satisfazer a sanha de uma mídia sensacionalista e parcial.

A Globo deitou e rolou com estas operações da Polícia Federal, da Lava Jato, mas se faz de cachorro morto em relação ao Queiroz e ao assassinato de Marielle.

Um dia a verdade virà, realmente à tona, mas temo que o crime da omissão, da prevaricação, já esteja prescrito. Não é o caso de pedir prisão ilegal de ninguém, mas, sim, investigação, justa,  séria para todos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247