Os agroboys e o Covid-26

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por mais absurdo que possa parecer o título, ao terminarem de o ler acharão algo muito sério.  

Deixando os rodeios de fora vamos ao que interessa. Nas minhas obsessivas e intensivas pesquisas sobre o Covid, pois estou exatamente no grupo de risco. Descobri coisas que qualquer virologia está careca de saber, mas pouco divulga, que o Covid-19 é um vírus da família dos Coronaviridae (vide detalhes aqui https://www.nature.com/articles/s41564-020-0695-z) e é mais um daquelas dezenas (ou mesmo centenas) de famílias de vírus que quando tens uma febre de 40ºC, sua como um desesperado, tens dores por todo o corpo e se estás vivo lendo esse texto o seu médico lhe disse enquanto está cobrando a conta: 

- Tivestes uma virose. 

Pois bem, os coronavírus segundo os estudos nos últimos anos existiram há milhares de anos e muitos dos nossos antepassados morreram devido a essas “amáveis” criaturas, porém nas últimas duas décadas fomos premiados com três epidemia de Coronavírus. A Mers, o Sars e o atual do Covid-19. Dá uma média de uma epidemia a cada 7 anos, todas essas epidemias causadas pela família do Coronavidae têm sempre uma origem, ou diretamente de um animal selvagem ou um selvagem para um doméstico e enfim para um humano. O fenômeno que causa essa passagem é o chamado transbordamento zoonótico ou mesmo salto interespécies. 

Mas o que isso tem com os nossos agroboys e seus agropais que atualmente avançam sobre a Amazônia para plantar soja? Tudo. As zonas que estão sendo desmatadas têm milhares de animais silvestres que ainda não tiveram contato com humanos e principalmente com bovinos que sucedem as áreas que foram plantada soja. Logo achar uma zoonose nessa área não é preciso procurar muito, logo se há um salto interespécie entre um desses animais silvestres para um bovino e posteriormente para um humano ou mesmo direto para um humano, não é algo muito difícil. 

Vejam a SIDA, a Mers, a Sars, o Covid-19, o Ebola e o Nipah são todos produtos de salto interespécies, chamo a atenção que de todos esses salvo a SIDA todos não tem tratamento e são extremamente mais mortais do que o Covid-19, com taxas de letalidade de 1% a 10% conforme a região e as condições sanitárias, vírus como o Nipah e o Ebola podem atingir valores de 70% a 100% dos infectados. 

Agora se acham que estou inventando ou tirando isso da minha cabeça, sugiro que leiam o artigo, “Global hotspots and correlates of emerging zoonotic diseases” publicado na Nature em 2017 https://www.nature.com/articles/s41467-017-00923-8 , logo na introdução aparece a seguinte frase “ The majority of EIDs (and almost all recent pandemics) originate in animals, mostly wildlife, and their emergence often involves dynamic interactions among populations of wildlife, livestock, and people within rapidly changing environments” EID quer dizer Emerging infectious diseases. Esse artigo é de 2017, ou seja, antes da Covid-19, então o mais normal que supondo um període de recorrência de 7 anos, a chance de termos uma nova pandemia que surja da região de desmatamento da Amazônia não é uma especulação, é um fato real e chance desse vírus, o Covid-26 seja bem mais letal que o Covid-19 é outra especulação muito real. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email