Os estudantes invadiram a Câmara de vereadores de SP. Imediatamente, proibiram a água e a comida. Que absurdo!

Estamos num momento crucial da história. Apesar do cansaço, do desânimo, da Globo, temos que lutar, lutar e lutar e derrotar a quadrilha que se assenhorou do poder. Não há outra alternativa

Estamos num momento crucial da história. Apesar do cansaço, do desânimo, da Globo, temos que lutar, lutar e lutar e derrotar a quadrilha que se assenhorou do poder. Não há outra alternativa
Estamos num momento crucial da história. Apesar do cansaço, do desânimo, da Globo, temos que lutar, lutar e lutar e derrotar a quadrilha que se assenhorou do poder. Não há outra alternativa (Foto: Edison Brito)

Os estudantes de São Paulo ocupam o plenário da Câmara dos vereadores desde o dia 9/8, quarta-feira. Exigem a revogação da lei que modificou o uso do passe livre . Antes da medida os estudantes tinham direito a 8 viagens num período de 24 horas. Agora, são quatro viagens num período de 2 horas, duas vezes ao dia.
 
Bem, não custa nada dizer que a lógica do "Prefake" João Dória se baseia no mercado e na desconfiança de que os alunos de São Paulo usam para outras finalidades como por exemplo: trabalhar. O passe, segundo eles, é exclusivamente para ir e voltar da escola, certo? Certo. E como sempre o pensamento das atuais autoridades é rasteiro e simplório. E de fácil assimilação. Quem não entende, não é mesmo? Ir e voltar!
 
Só que há pontos importantes a serem debatidos. 
 
Primeiro, estudante é quem estuda, não é quem vai à escola, senão os funcionários que lá trabalham seriam classificados também como estudantes. 
Estudar é um constante aprender. Ir à biblioteca, ao teatro, ao cinema, à pontos históricos, ao zoológico, aos museus, aos debates, aos grupos de estudos, a shows tudo isso faz parte da educação, da formação do cidadão, ou não? Aposto que os filhos dessas autoridades usufruem de todos esses aparelhos. No entanto, não querem que o pobre faço o mesmo. Ou como o Lula e vários outros progressistas já disseram, não querem que seus rebentos sejam incomodados por essa turba do rolezinho.
 
Um aluno que mora nos rincões da zona sul e estuda no centro leva quase duas horas para chegar ao destino, e se de lá pegar outra condução, terá então que pagar do próprio bolso. Se pelo menos bolso tiver.  Naturalmente para o prefeito esses são casos raros e não devem ser levado em consideraçâo dentro de um estudo macro econômico. Ou seja, periferia, um aviso: estudem perto de onde moram, ou não estudem. Faculdade então? Nem pensar.
 
Coincidentemente iria participar de um evento na câmara quando houve a invasão. De cara, fecharam os portões. Ninguém entra, ninguém sai. Como sou ninguém, não entrei.
 
Do lado de fora conversei com alguns estudantes. Perguntei: cadê os outros? Aqui não deveria estar lotado de estudantes? Porque a briga é ampla. O pessoal de dentro tem que sentir o apoio dos de fora. Me disseram que estavam vindo...
 
Bem, quanto a isso, o que vi foi a PM cercando alguns pontos e entrando à conta-gotas no prédio. Estudantes, parentes mesmo, pouquíssimos.
Uma manifestante gritou que tinham cortado a água, entrada de comida e o uso do banheiro.
 
Não acreditei. Pô! Os alunos mal chegaram e já cortam o básico? Não é possível! Se até nas rebeliões de presidiários as autoridades só tomam esta atitude extrema depois de uma negociação. Como eles fariam isso com adolescentes, jovens de 15, 16, 17 anos? Mas fizeram. 
 
Quem deu as ordens?  Milton Leite, presidente da camâra. Partido? DEM. Mais um fascista saindo do armário.  Em entrevista disse: claro que podem beber, usar o banheiro, comer. Só que quem sair, não entra. Oh! Que bonito!  Um verdadeiro democrata. Melhor fez o finado Erasmo Dias, numa manifestação, em 1977, pediu que as mães fossem buscar o seus filhos, porque iriam descer a borrachada. O Milton, não. Primeiro torturar. E Depois negociar. É a fórmula fascista de governar.
 
Esse "modus operandi" se espalha pelo Brasil. Isto que está acontecendo em São Paulo é reflexo do golpe de estado. João Dória Jr, o prefake, é um fascista e não esconde. Joga flores ao chão e colhe ovadas.
 
"Estudantes do Brasil, tua missão é a maior missão: batalhar pela verdade impor a tua geração". Hino do Estudante do Brasil. A verdade está com que luta pela democracia. Pelo fim do Golpe.
 
Estamos num momento crucial da história. Apesar do cansaço, do desânimo, da Globo, temos que lutar, lutar e lutar e derrotar a quadrilha que se assenhorou do poder. Não há outra alternativa.
 
P.S. : O Milton revogou a proibição. Não irá mais matá-los de fome e sede. Viu como são bonzinhos?

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247