Os juristas da Globo

Digna de registro a expressão corporal desses funcionários. Um meio sorriso plantado em seus rostos. A convicção plena da culpabilidade do ex-presidente, mesmo sem provas, ao balançar a cabeça, de maneira afirmativa, ao ouvirem qualquer coisa – repita-se, qualquer coisa, o menor indício - de que "o Lula é culpado. E sabia de tudo"

Os juristas da Globo
Os juristas da Globo
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Dizem que mais importante que o fato é a sua interpretação.

Milllôr Fernandes conseguiu expressar magistralmente esse conceito em sua "Fábulas Fabulosas", ao contar a história do leão, que duvidando da sua majestade, saiu pela floresta a consultar outros animais para saber quem era o Rei dos Animais, o Manda Chuva. Até que encontrou o elefante, que desafiado pela pergunta do leão, em silêncio, enrolou o rei na sua tromba, jogando-o sobre um troco de árvore. O leão, bastante machucado, falou, indignado: "– Diabo, só porque não sabia da resposta, não precisava ficar tão zangado. "

A fábula do leão me veio à mente após os eventos de ontem, 10 de maio. O qual poderá entrar para a história como o dia da vergonha nacional.

Quando caminhamos para trás, num retrocesso sem fim. Nos afastando, cada vez mais, dos padrões de uma sociedade civilizada.

A justiça brasileira midiatizou-se. Busca a todo custo o chamado "apoio da sociedade", à falta gritante de um apoio legal, sistema garantidor do Estado de Direito. Demoram a perceber que a sociedade brasileira começa a perder a confiança em seus juízes.

A ordem jurídica plena, permanente, é essencial para a garantia do processo democrático.

Nos eventos de ontem, não sei o que nos fez corar de vergonha com mais intensidade: se o teatrinho montado para o depoimento do ex-presidente Lula, ou a pronta interpretação do fato pelos "jornalistas globais". Acostumados a falar as maiores estultices para o seu público cativo. Dizem que há muito deixaram de ser jornalistas: são funcionários da Globo. Ciosos dos seus empregos, dos seus salários e da sua fiel audiência. Quando necessário, vestem a toga de juízes.

Digna de registro a expressão corporal desses funcionários. Um meio sorriso plantado em seus rostos. A convicção plena da culpabilidade do ex-presidente, mesmo sem provas, ao balançar a cabeça, de maneira afirmativa, ao ouvirem qualquer coisa – repita-se, qualquer coisa, o menor indício - de que "o Lula é culpado. E sabia de tudo".

Esse julgamento midiático é impiedoso. Ocupa todos os horários disponíveis na grade de programação global. Rádios e jornais. Uma vergonha inominável, se comparada à absoluta falta de interesse na apuração de malfeitos dos amigos e correligionários da "Vênus Platinada". Eles mantêm a aposta que o povo é bobo.

Propinas comprovadamente depositadas em contas no exterior não causam o mínimo interesse, a menor indignação nos funcionários globais.

Sua indignação é sempre seletiva.

É esta a forma desavergonhada de fazer jornalismo. Na realidade uma máquina suja de propaganda e manipulação políticas. Sem nenhum pudor. A ética fica ao largo quando o objetivo político fala mais alto. No interesse dos seus patrões. Os quais não dependem do escrutínio periódico dos votos dos eleitores brasileiros. Mas tem a permissão, sem limites, para fazer a baixa política do modo que lhe pareça mais conveniente.

Já vimos esse filme. Sabemos o seu final. E não há "happy end".

Trata-se da criação, sutil, pelos medíocres, do ESTADO TOTALITÁRIO. Quem viver, verá.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247