Palavras embargadas para exorcizar um dia de infâmia

Lula, saiba que estamos todos aqui, aumentando cada vez mais o apoio a você, à sua família, aos seus sonhos. Há um pouco de você em cada um de nós. Tudo o que você plantou e construiu jamais será destruído, jamais

Povo com Lula em ato pela democracia na praça da República, em São Paulo. #Lula #PovoComLula Fotos: Ricardo Stuckert
Povo com Lula em ato pela democracia na praça da República, em São Paulo. #Lula #PovoComLula Fotos: Ricardo Stuckert (Foto: Gustavo Conde)

Hoje, não vou escrever mais um texto defendendo e enaltecendo Lula. Hoje, vou me dirigir a ele para dar um abraço com as palavras que me restaram em um dia de estranha tristeza.

É preciso sentir a tristeza quando ela vem. Faz parte da vida, faz parte da verdade de cada um.

Lula, meu caro. Quem fez um sujeito tão humano, tão carinhoso, tão humilde, tão verdadeiro? Quando lhe dei um abraço, essa sensação veio com muita força. Foi uma felicidade confirmar através do tato um sentimento que já me era realidade através da voz histórica.

Toda essa sensibilidade, hoje e no entanto, se aprofunda um pouco mais. E ela se aprofunda porque hoje é dia de retribuir um pouco todo esse carinho que tantos de nós recebemos ao longo de nossas vidas. A gente sofre quando acha que alguém que a gente ama também sofre.

Quando se tem amor, mesmo as feridas mais insignificantes fazem o coração apertar e a emoção transbordar. Ver você ser condenado injustamente é como ver meu filho triste porque perdeu um jogo de futebol. É como se ele se machucasse na rua ou na escola. A gente comprime nosso peito e única coisa que a gente quer é abraçar e amparar.

Você é um ser humano, não é um mito, uma lenda ou um herói. É o filho da Dona Lindu, irmão do Frei Chico, do José, da Lindinalva. É a eterna paixão de Dona Marisa, um homem que cuidou dos filhos e ajudou os irmãos.

Você é o cidadão carinhoso que beija os amigos, que abraça as pessoas, que brinca, que dá sarrada, que grita, que sorri, que respeita. Que leva uma vida modesta, que mora no mesmo lugar há mais de 20 anos.

Você, Lula, é puro amor. É um cidadão que tem orgulho de lutar, entre tantas outras coisas, pela preservação do maior valor que recebeu de sua mãe: honestidade e lealdade. É alguém que, mesmo quase morrendo de fome na infância, foi incapaz de roubar, que vivenciou a privação e a entendeu como parte do caráter que constrói a história de cada um de nós.

Mexe com o nosso sentimento saber que alguém que lutou a vida inteira pelos outros, sofra um pequeno revés quando a tarefa era lutar um pouco por si mesmo. Posso dizer a você - eu e mais os mihões que o amamos: deixe a gente sentir essa dor por você, só um pouquinho. Nós sabemos da sua força, da sua tranquilidade, da sua humildade em se preocupar mais conosco do que consigo mesmo.

Mas, peço que respeite o amor que temos por você. Deixe que a gente sofra um pouco, que a gente faça a nossa catarse pessoal e intrasferível das lágrimas, para que toda essa energia afetiva retorne e nos torne a todos mais e mais fortes, nós e você, Lula.

Saiba que estamos todos aqui, aumentando cada vez mais o apoio a você, à sua família, aos seus sonhos. Há um pouco de você em cada um de nós. Tudo o que você plantou e construiu jamais será destruído, jamais.

Nesse momento só queremos abraçá-lo e dizer: vamos vencer mais essa batalha. Um beijo, meu querido.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247