Parar a educação no dia 13 é essencial para salvar o Brasil

Muito importante tomar as ruas do país no dia 13, com os estudantes, para salvar a educação pública e a nossa aposentadoria.

(Foto: Mídia NINJA)

A receita ultraconservadora do governo de Jair Bolsonaro aprofunda a crise que se abate sobre o Brasil. Não há uma política clara para a recuperação econômica e a consequente criação de empregos. Aliás, o desemprego atinge 12,8 milhões de pessoas, enquanto 28,4 milhões estão no subemprego e 4,9 milhões desistiram de procurar emprego, como mostra o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Para satisfazer o mercado, o presidente atua como garoto-propaganda do desmonte dos direitos trabalhistas, do fim da aposentadoria digna, mas principalmente da resposta fácil para a sua inoperância e desvirtuamento das principais questões que poderiam reerguer o país.

Ao contrário, cresce o número de endividados que já atingem 64,1% da população, segundo  O percentual de famílias endividadas no país cresceu de 64% em junho para 64,1%, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). 

Como o maior inimigo da educação pública, o governo federal já bloqueou R$ 6,2 bilhões das verbas destinadas ao Ministério da Educação (MEC). Para avançar com seu projeto de privatização da educação promove ataques sistemáticos às professoras e professores e aos estudantes para liquidar com a educação pública e inviabilizar o país enquanto país.

Os cortes orçamentários atingem todos os níveis de ensino, desvalorizam o magistério, acabam com a pesquisa e extensão nas universidades federais e praticamente impedem o desenvolvimento científico no país, com isso estudantes vão embora.

Em relação ao ensino superior, o MEC apresentou o projeto “Future-se”. O início da privatização das universidades federais, inicialmente entregando a administração dessas instituições de excelência a Organizações Sociais, prejudicando a qualidade do ensino, o investimento em pesquisas e os programas de auxílio à permanência dos estudantes.

Muito importante tomar as ruas do país no dia 13, com os estudantes, para salvar a educação pública e a nossa aposentadoria. Esse governo se mostra uma balela, sem educação, sem cultura, sem programa de desenvolvimento, sem saúde, sem emprego. Um governo que só destrói e se submete a interesses estrangeiros. Bolsonaro é o fim do sonho de um país digno para todas e todos.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247