#Partiu Partido

"Além da ausência institucional, o governo atual prima pela destruição ou desmonte do que já havia", afirma o colunista Miguel Paiva. "Qual é o projeto de Brasil do PSL? Pelo que estamos vendo é um bate-boca de baixo nível entre seus filiados fixos e provisórios por um monte de dinheiro do fundo partidário", acrescenta

(Foto: Miguel Paiva)

Por Miguel Paiva, para o Jornalistas pela Democracia

Durante os anos em que morei na Itália, algumas vezes li que o país funcionava bem mesmo sem governo. No regime parlamentarista como o da Itália muda-se muito de governo. Cabe ao Presidente da República convocar os parlamentares para formar um novo gabinete. Nesse vai e vem , muitas vezes, a Itália passou bons períodos sem governo, mas funcionando. A economia funcionava, o desenvolvimento social avançava, os sindicatos negociavam, o país andava. 

Aqui no Brasil, estamos sem governo, ou melhor, num desgoverno desde janeiro, mas a diferença é que aqui o país não anda. Além da ausência institucional, o governo atual prima pela destruição ou desmonte do que já havia. Parece uma turma de delinquentes que assumiu o controle do bairro. Sai por aí destruindo tudo aquilo que encontra e não tem estrutura para construir nada no lugar. Vai aprovar uma reforma da Previdência capenga e descaracterizada que , assim mesmo, veio para tirar a aposentadoria dos mais pobres e dá-la aos bancos.

Fico imaginando se essa briga de baixo bastidor do PSL tivesse acontecido com o PT vencedor da eleição. Não só cairiam de pau como haveria, praticamente, uma comoção nacional enfatizando a falta de seriedade do partido. Aqui, fora as manifestações da imprensa alternativa, vemos um comportamento quase que pueril da grande imprensa em relação a isso, com risinhos debochados por detrás dos panos e uma desconfiança quase que invisível em relação aos números da economia. Só isso, como se isso fosse o farol do desenvolvimento de um país.

Com a crise chilena, o pessoal do Guedes e seu fã-clube perde um grande apoio. Agora quem eles vão citar como sucesso da política neoliberal? O Trump? Mas este não vale. Comparar a economia dos Estados Unidos com a nossa é ridículo e os Estados Unidos também podem ser considerados um desses casos em que o país funciona mesmo sem governo, ou com um governo como o do Trump. Além da tradição temos ali um país com história e respeito à democracia apesar de tudo.

Aqui a História é considerada subversiva e mudada ao bel prazer, a tradição só vale para a ideia errônea e falsa de família e a economia é um amontoado de números que medem a riqueza de quem ganha mais. 

Assim , sem governo como estamos, também ficamos sem funcionamento. O presidente se ausenta num momento de crise do seu partido, mas, pensando bem, que partido é esse e que presidente é esse? O partido não tem tradição política e o presidente não tem vocação nem partidária, nem democrática. Não tem história, para resumir. Pare ele , estar no PSL ou no PQP é a mesma coisa e se pensarmos bem, ele tem até razão. Que estrutura política o PSL dá para seus filiados? Qual é o programa do PSL? Qual é o projeto de Brasil do PSL? Pelo que estamos vendo é um bate-boca de baixo nível entre seus filiados fixos e provisórios por um monte de dinheiro do fundo partidário. 

Gente, se isso não é escandaloso não sei mais o que é. Se lembrarmos bem, há muito pouco tempo, a presidenta Dilma foi deposta por uma suposta pedalada fiscal que hoje me parece mais inocente que um passeio de bicicleta pela ciclovia de Brasília.

Onde fomos parar, diria minha mãe? Onde vamos parar, diria eu agora vendo com óculos escuros o futuro que se aproxima. Mas espero, de verdade, que esses óculos escuros sejam para proteger meus olhos do sol que voltará a brilhar e não para me esconder de vergonha do país que deixamos acontecer.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247