Pastores ou Lobos?

O artigo do El País de 12 de agosto de 2019 anuncia a chegada ao Brasil, do que chamou de “Os pastores de Trump” que, segundo a matéria, vêm ao Brasil com o “objetivo de “converter” políticos a uma visao evangélica de política”. Este grupo, depreendo, desenvolveu uma teologia para apoiar os desmandos que a política da extrema direita estimula

Trump é da turma
Trump é da turma (Foto: MIKE SEGAR)

O artigo do El País de 12 de agosto de 2019 anuncia a chegada ao Brasil, do que chamou de “Os pastores de Trump” que, segundo a matéria, vêm ao Brasil com o “objetivo de “converter” políticos a uma visao evangélica de política” 

Este grupo, depreendo, desenvolveu uma teologia para apoiar os desmandos que a política da extrema direita estimula. No artigo aparece algumas indicações disto:  

1- sobre a guerra - Deus aceita a guerra, a declaração de Jesus Cristo “bem-aventurados os pacificadores” (Mc 5.9) é para relacionamentos particulares, não para relacionamentos internacionais.  

2 - sobre sustentabilidade - Deus é quem sustenta o ecossistema do mundo… o que o homem possa fazer não afeta essa verdade.  

3 - sobre imigração e refúgio - Deus designou que as nações devem ter diferentes línguas, culturas e fronteiras.  

4 - sobre a separação dos filhos de seus pais na fronteira mexicana  - é a consequência de se violar a lei de um país, como acontece com ladrões e assassinos em prisão. As autoridades têm permissão de Deus para implementar as suas políticas, pois, deve haver submissão às autoridades segundo Rm 13.  

Há, certamente, muito mais, o artigo sugere que há um manual básico elaborado pelo líder do ministério “Capitol ministries” Ralph Drollinger. Esse ministério tem recebido apoio de membros de ponta do governo norte-americano, segundo o artigo do El País.  

Esse ministério acaba de chegar no Brasil, onde os estudos bíblicos de Drollinger serão oferecidos aos líderes políticos da nação, a começar pelo Senado Federal. No lançamento, programado para segunda quinzena de agosto, Drollinger e sua esposa estarão presentes.  

O pastor batista, treinado em Seattle, responsável por conduzir os estudos bíblicos no Senado e na Câmara o declara que o “objetivo é reconstruir a nação a partir de valores cristãos que são forjados através do estudo da palavra”  Bem, não é preciso dizer o que tal ação significa para o Estado Laico… é, simplesmente, uma agressão até mesmo à noção de laicidade do Estado.  

Se os quatro pontos que alistei refletirem o ensino, é temerário o efeito que se pode esperar a partir desse ensino e desse tipo de leitura da Bíblia.  

A distorção contida nessa leitura é evidente, sendo vejamos:   

1 - sobre a guerra - Jesus rejeita não só a guerra como a paz por meio das armas, como o império romano pregava Jo 14.27, e o sonho bíblico é o fim da guerra como dito por Is 2. 4, Deus “julgará entre os povos e corrigirá muitas nações; estas converterão as suas espadas em relhas de arados e suas lanças, em podadeiras; uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra.”  

2 - sobre sustentabilidade - Gn 2:15 “Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar.” Eden (que significa lugar de delícias) era o nome que Deus havia dado ao nosso planeta, o jardim é o modelo de governo que Deus propôs ao ser humano, que deveria fazer do planeta um grande jardim, marcado pela sustentabilidade, onde o ser humano seria, simultaneamente, jardineiro e parte do jardim, responsável, portanto, pela manutenção e equilíbrio entre os diferentes biomas, para que continuasse a ser um lugar de delícias.  

3 - sobre imigração e refúgio - Deus disse a seu povo: Dt 10:19 “Amai, pois, o estrangeiro, porque  fostes estrangeiros na terra do Egito.” E disse, também: Mt 25:35 “Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes”

4- sobre as autoridades (Rm 13) - é dito em Rm 13.1-7:  1º,  a noção de autoridade vem de Deus, (no caso da democracia pertence ao Povo, e só em seu nome pode ser exercida ); 2º, a autoridade existe para zelar pelo bem do cidadão, e, nisso, serve a Deus; 3º, a autoridade só pode agir sob motivo reconhecido, isto é, sob o Estado de Direito; 4º, a autoridade só pode sentenciar quem, comprovadamente, fez o mal, isto é, quebrou a lei. 

Como alguém já disse, os demônios vêm do norte, cabe aos humanos do sul rechaça-los.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

O círculo vicioso do ódio

Infelizmente a educação de israelenses e de palestinos não é direcionada para a paz e a convivência em comum. Todos são demonizados e como representantes do mal, se justifica maltratá-los e acabar...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247