Paulo Guedes pode cair

Guedes, se mantiver radical, dança; a sua fuga hoje de ir debater com congressistas na CCJ, mais importante comissão, para avaliar a reforma, em seus aspectos constitucionais, revelou fragilidade do governo

Paulo Guedes pode cair
Paulo Guedes pode cair (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Congresso não engole o receituário de Chicago

A principal proposta de Guedes, a da capitalização, está sendo considerada desastre pelo bolsonarismo; não há consenso, também, com supressão dos benefícios sociais; da mesma forma, emergem discordâncias sobre idade de aposentadoria e tempo de contribuição para trabalhadores rurais, professores; do mesmo modo o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para aposentadoria aos 65 anos, aumentando para 20 e 70, encontra barreira intransponível; os parlamentares dos partidos governistas, sem falar nos da oposição, é claro, caminham para considerar inconstitucional a desconstitucionalização de despesas obrigatórias com educação e saúde, para ajudar na economia de gastos que Guedes diz ter que ser de R$ 1 trilhão, para pagar juros de dívida.

Fonte ligada a Guedes diz que não será possível aprovar nada sem diálogo, sem que todas as partes sejam contempladas; Guedes, se mantiver radical, dança; a sua fuga hoje de ir debater com congressistas na CCJ, mais importante comissão, para avaliar a reforma, em seus aspectos constitucionais, revelou fragilidade do governo, cujo presidente, ele, mesmo, diz ser contra, se depender dele.

A insegurança da base política do Planalto é visível; a rejeição da CCJ em ouvir representante de Guedes e insistir na ida dele ao debate, agora, mediante convocação, representou derrota do governo na Comissão; está sendo criado clima favorável ao voto de desconfiança do parlamento contra Guedes, por não atender as demandas, especialmente, em relação aos valores que pretende economizar; de onde sairão os R$ 850 bilhões, em dez anos, que pretende arrecadar?

A convicção da oposição unida é que o desmonte da seguridade social e a desconstitucionalização de direitos são inconstitucionais; ou seja, mesmo se o governo levar, restará recurso ao Supremo Tribunal Federal, para aprovar ou não cassação de direitos constitucionais, sobretudo, com proposta de capitalização; ela derrubaria o alicerce do sistema social democrata nacional, que tem garantido relativa estabilidade política institucional; a guerra ideológica se acirra.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247