PMDB: 7 a 1 ou 4 a 3?

"Eliseu Padilha é ligadíssimo a Michel Temer e a seu antecessor na pasta, Moreira Franco. Se ele não pode ficar no governo nesta hora, é porque vai trabalhar pelo impeachment", diz a colunista Tereza Cruvinel; "Neste momento Dilma e sua tropa de choque precisam ter um entendimento claro com os ministros Henrique Alves (Turismo) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), que têm notórias ligações com Eduardo Cunha.  Se eles não se comprometerem publicamente a trabalhar contra o impeachment, Dilma terá que substituí-los, ficando só com os quatro peemedebistas que se alinham com a ala governista do partido", afirma; os leais seriam Kátia Abreu, Eduardo Braga, Marcelo de Castro e Helder Barbalho

"Eliseu Padilha é ligadíssimo a Michel Temer e a seu antecessor na pasta, Moreira Franco. Se ele não pode ficar no governo nesta hora, é porque vai trabalhar pelo impeachment", diz a colunista Tereza Cruvinel; "Neste momento Dilma e sua tropa de choque precisam ter um entendimento claro com os ministros Henrique Alves (Turismo) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), que têm notórias ligações com Eduardo Cunha.  Se eles não se comprometerem publicamente a trabalhar contra o impeachment, Dilma terá que substituí-los, ficando só com os quatro peemedebistas que se alinham com a ala governista do partido", afirma; os leais seriam Kátia Abreu, Eduardo Braga, Marcelo de Castro e Helder Barbalho
"Eliseu Padilha é ligadíssimo a Michel Temer e a seu antecessor na pasta, Moreira Franco. Se ele não pode ficar no governo nesta hora, é porque vai trabalhar pelo impeachment", diz a colunista Tereza Cruvinel; "Neste momento Dilma e sua tropa de choque precisam ter um entendimento claro com os ministros Henrique Alves (Turismo) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), que têm notórias ligações com Eduardo Cunha.  Se eles não se comprometerem publicamente a trabalhar contra o impeachment, Dilma terá que substituí-los, ficando só com os quatro peemedebistas que se alinham com a ala governista do partido", afirma; os leais seriam Kátia Abreu, Eduardo Braga, Marcelo de Castro e Helder Barbalho (Foto: Tereza Cruvinel)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O lance mais danoso para o governo, na guerra do impeachment, nas últimas horas, foi o pedido de demissão do ministro da Aviaçãqo Civil, Eliseu Padilha. Por vários motivos. ). Logo, Dilma não tem nada esperar de Michel e muito a esperar do trabalho de Padilha e Moreira, presidente da Fundação Ulysses Guimarães, centro de formulação político-ideológica do PMDB. Ou de uma bancada que lançou o documento liberal "Ponte para o Futuro".

Mais ainda. Eliseu é um exímio articulador e peão de batalha. Foi ele que coordenou para Fernando Henrique, com mapa de votos sobre a mesa, a cruzada para aprovar a emenda da reeleição. E como já apontou o colunista da Folha Bernardo Mello Franco, como articulador político do Governo Dilma, ele teve acesso ao organograma de cargos, livres e ocupados, e conhece a demanda atendida ou reprimida de cada deputado. Saberá o que oferecer.

Com a saída de Padilha, está acesa a luz vermelha sobre a posição dos outros sete ministros do partido no governo.  Neste momento Dilma e sua tropa de choque precisam ter um entendimento claro com os ministros Henrique Alves (Turismo) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), que têm notórias ligações com Eduardo Cunha.  Se eles não se comprometerem publicamente a trabalhar contra o impeachment, Dilma terá que substituí-los, ficando só com os quatro peemedebistas que se alinham com a ala governista do partido, hoje conduzida pelo líder Leonardo Picciani e o governador Pezão. São eles Katia Abreu (Agricultura), que é mais dilmista do que outra coisa,  Marcelo de Castro (Saúde), Eduardo Braga (Minas e Energia), Helder Barbalho (Portos).   O que não tem sentido e manter nos governo ministros que se valerão dos cargos para tentar tirá-la do cargo.

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247