Por que tanta pressa? Para mostrar a Bolsonaro o depoimento de Moro?

"A julgar pelas palavras de Bolsonaro no dia da demissão de Moro, quando admitiu que ele e o então chefe da PF não atendiam aos seus pedidos de acesso a investigações, por isso se desentendia com eles, a primeira tarefa do novo interventor será fazer exatamente o oposto, ou seja, informar ao ainda presidente tudo o que lhe interessar", escreve o jornalista Alex Solnik

(Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, para o Jornallistas pela Democracia 

A posse instantânea do novo interventor na Polícia Federal, Alexandre de Souza, ex-braço-direito de Alexandre Ramagem na Abin, hoje de manhã, meia hora depois de ser anunciado, no gabinete da presidência da República e não na PF nem no ministério da Justiça, sem cerimônia, sem convidados e sem entrevistas revela a pressa que o ainda presidente da República Jair Bolsonaro tinha para consumar sua intervenção na Polícia Federal e, mais precisamente, tomar pé do andamento do inquérito no qual Moro depôs anteontem por mais de oito horas.

A julgar pelas palavras de Bolsonaro no dia da demissão de Moro, quando admitiu que ele e o então chefe da PF não atendiam aos seus pedidos de acesso a investigações, por isso se desentendia com eles, a primeira tarefa do novo interventor será fazer exatamente o oposto, ou seja, informar ao ainda presidente tudo o que lhe interessar, a começar, é claro, pelo depoimento de Moro, dando-lhe acesso a todas as provas que apresentou.

Imagina-se que Souza, tendo sido nomeado sobretudo por ser amigo do amigo dos Bolsonaro e para cumprir ordens diretamente do presidente da República será estreitamente monitorado pela imprensa e até por seus subalternos e todos seus atos serão vistos com desconfiança, mas vai fazer de tudo para conduzir as investigações, daqui em diante, de forma a incriminar Moro e inocentar Bolsonaro, pois esse inquérito é questão de vida ou morte política para o ainda presidente.

Se não conseguir, vai cair em desgraça tal como Valeixo.   

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247