Por um mundo melhor

A denominação dessa comenda como Dom Hélder Câmara é também uma homenagem ao grande brasileiro que foi o arcebispo de Olinda e Recife, conhecido e mundialmente respeitado por sua atuação na defesa dos mais pobres e dos perseguidos políticos durante a ditadura militar no Brasil

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Como faz anualmente, o Senado Federal entregou a Comenda de Direitos Humanos Dom Hélder Câmara. Uma oportunidade para conhecer personalidades que fazem diferença no Brasil, quando o tema envolve gente que se preocupa e se ocupa com gente.

São pessoas que dedicam a maior parte de seu tempo - às vezes o tempo inteiro - em defender os direitos daqueles que têm subtraídas as possibilidades de uma vida digna. São pessoas que defendendo os direitos básicos da população apostam na bondade humana, na justiça social e em um mundo melhor.

A denominação dessa comenda como Dom Hélder Câmara é também uma homenagem ao grande brasileiro que foi o arcebispo de Olinda e Recife, conhecido e mundialmente respeitado por sua atuação na defesa dos mais pobres e dos perseguidos políticos durante a ditadura militar no Brasil.

O italiano Cesare La Rocca criou, há 25 anos, o Projeto Axé. Sua iniciativa já ajudou a educar mais de 24 mil crianças que, estimuladas a deixar as ruas, a mendicância, a vadiagem e muitas vezes do crime, são levadas a participar de uma série de atividades de arte-educação, entre elas capoeira, dança, música, canto e moda.

A segunda agraciada, Gleice Francisca Machado, tem a nobre missão de cuidar para que os afetados pelo xeroderma pigmentoso tenham esperança de um dia poder transitar pelas ruas. Isso porque a doença, com suas deformidades, e todo sofrimento consequente, não as permitem ter contato com a luz solar. A sua pesquisa sobre o tema, que resultou na obra "Nas Asas da Esperança", deu viabilidade às dificuldades enfrentadas pelos afetados por esse mal.

Por sua vez, a desembargadora Maria Berenice Dias recebeu a Comenda pela militância dos direitos das mulheres, principalmente pelo seu combate à violência doméstica. Maria Berenice, que é uma referência no Brasil quando se fala em Direito de Família.

Outro condecorado foi o padre Paulo Roberto. Como diretor presidente do Instituto do Câncer Joel Magalhães trava uma incansável luta pelos direitos dos portadores da doença no Amapá. O presidente da Fundação Renascer, Wellington Dantas Mangueira Marques, também recebeu a Comenda. Como Secretário de Justiça e Secretário da Segurança Pública de Sergipe, implantou a Polícia Comunitária, que tem como lema "polícia cidadã para uma sociedade de cidadãos".

Também foi agraciada fundadora do Projeto Uerê, Yvonne Bezerra de Mello. Seu trabalho como vice-presidente da Casa da Cidadania, no Morro Dona Marta, e presidente da Casa da Paz, em Vigário Geral, no Rio de Janeiro, a levou a exercer a função de Conselheira de Direitos Humanos do Tribunal Penal Internacional.

Em memória, também concedemos a Comenda a Dom Moacyr José Vitti por seu trabalho na Pastoral Vocacional que o levou à Congregação dos Estigmatinos, em Roma. Sua dedicação e devoção ao sacerdócio o fez merecedor da Comenda. Um mundo melhor depende do trabalho, esforço e dedicação de cada um de nós.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247